Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > O Livro dos Médiuns
SEGUNDA PARTE - Cap. XXXI - Dissertações espíritas - XXIII e XXIV (Estudo 127 de 133)

       

Reflexão

1) Por que São Luiz insiste na questão da concentração, do silêncio? Isso é uma necessidade nossa ou dos espíritos?

2) Qual o seu entendimento desta afirmação: “A divergência favorece a substituição dos Espíritos bons pelos maus e quase sempre são estes que respondem às questões propostas”?

3) Na sua experiência, como contornar as opiniões divergentes numa reunião séria, sem causar tumulto?

 
SEGUNDA PARTE - Cap. XXXI - Dissertações espíritas - XXIII e XXIV - Conclusão Voltar ao estudo
 
CONCLUSÃO

1) É uma necessidade de ambas as partes: o Espírito precisa se concentrar (seu pensamento) na tarefa e no encarnado que a executará para ele (ou à revelia do encarnado); por sua vez o encarnado precisa se colocar à disposição do Espírito, concentrando-se e mantendo silêncio – mesmo que a sua revelia o encarnado precisa estar em condições de ser utilizado como instrumento.
Tratando-se do trabalho mediúnico de desobsessão, por exemp0lo, a necessidade de concentração e silêncio de ambos é essencial para o bom andamento do trabalho.

2) A divergência dispersa as boas vibrações e os pensamentos se tornam inamistosos, o que predispõe a aproximação dos maus e o afastamento dos bons; isso, muitas vezes, é permitido para que aprendamos a conviver em grupo, respeitando a opinião alheia, por exemplo...

3) Deixando que cada um exponha o que pensa e, através da provocação do raciocínio lógico com perguntas, com base no que já se conhece, se leva a própria pessoa a chegar à conclusão de que está certa ou equivocada. Nos casos em que a pessoa, mesmo sabendo-se errada, continua arraigada a sua opinião, pede-se que ela faça uma pesquisa e fundamente seu pensamento, citando fontes sérias, etc. Normalmente ou a pessoa se afasta ou reconhece seu erro. Por isso, aquele que dirige uma reunião séria de estudos, por exemplo, deve ter um profundo conhecimento da DE, assim como deve cultivar a humildade e a tolerância.
Por outro lado, nas reuniões de trabalho mediúnico de atendimentos aos necessitados, não deve haver nenhum tipo de discussão e/ou divergências – para isso pode ser feita uma pequena reunião após o trabalho para examinar alguma atitude ou reforçar condutas.
1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo