Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > O Livro dos Médiuns
SEGUNDA PARTE-Capítulo XXV–Das evocações-item 284 (Estudo 78 de 133)

       

Reflexões:

1) Que efeito o corpo físico exerce na evocação de pessoas encarnadas?

2) Como fica o corpo físico do evocado quando o espírito atende ao chamado?

3) É mais fácil evocar-se uma pessoa encarnada ou desencarnada?

4) Por que devemos nos abster de evocar pessoas encarnadas?

5) Em que condições não é aconselhado evocar-se encarnados?

 
SEGUNDA PARTE-Capítulo XXV–Das evocações-item 284 - Conclusão Voltar ao estudo
 
CONCLUSÃO

1) Nesse período evolutivo em que vivemos agora o corpo físico é como uma prisão que embota nossos sentido quanto mais denso ele é, ou seja, quanto mais atrasado é o espírito, maior é a "força" da prisão, dificultando a saída do espírito para fora do corpo. Assim, se somos evocado ainda encarnados, precisamos nos "livrar" do corpo físico durante o sono para podermos nos emancipar e atender ao chamado. Quanto mais adiantado é o espírito, mais fácil é essa liberdade.

2) Dorme - ou fica em estado sonambúlico ou estático. O corpo sem o Espírito fica em estado latente.

3) A desencarnada porque não tem o obstáculo do corpo, está mais livre dos obstáculo inerentes ao encarnado.

4) Por que os encarnados têm um obstáculo muito grande para vencer, o que pode exaurir o espírito, principalmente se for uma pessoa frágil e/ou doente.

5) Durante o dia, pois a pessoa estará acordada, em vigília, além das dificuldades citadas acima.
1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo