Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > O Livro dos Médiuns
SEGUNDA PARTE-DAS MANIFESTAÇÕES-Capítulo XVII-Formação dos médiuns–itens 219-220 (Estudo 45 de 133)

       

Reflexão

1. Em que circunstâncias o médium pode ter suspensas as suas faculdades?

2. Poderá retomá-las algum dia?

3. Se sim, do que dependerá essa recuperação?

4. A faculdade mediúnica é um prêmio ou uma prova, missão ou expiação?

5. comente este trecho do texto: "16ª Como pode um homem aperfeiçoar-se mediante o ensino dos Espíritos, quando não tem, nem por si mesmo, nem com o auxílio de outros médiuns, os meios de receber de modo direto esse ensinamento? Não tem ele os livros, como tem o cristão o Evangelho? Para praticar a moral de Jesus, não é preciso que o cristão tenha ouvido as palavras ao lhe saírem da boca".
 
SEGUNDA PARTE-DAS MANIFESTAÇÕES-Capítulo XVII-Formação dos médiuns–itens 219-220 - Conclusão Voltar ao estudo
 
CONCLUSÃO

1. Em consequência ao mau uso que fizer de sua faculdade: para aprendizado, para reflexão sobre seus atos; também para dar um descanso ao médium muito sensível e aplicado; "isso não raro se dá, porque os Espíritos não mais querem, ou podem servir-se dele."

2. Sim. Assim que não mais existir a causa da suspensão, a atividade pode ser retomada.

3. Dependerá do esforço do médium em melhorar-se e no seu reconhecimento da ação dos Espíritos, ou seja, de que sem o concurso dos Espíritos, sua faculdade perde a funcionalidade.

4. No nosso atual estágio evolutivo, na maior parte das vezes, é uma expiação, com a qual o médium deve procurar o seu aperfeiçoamento como Espírito e praticar os ensinamentos do Evangelho, principalmente a caridade; nunca é um prêmio ou privilégio, antes é tarefa, já que Deus, perfeitamente justo, não premia nem castiga ninguém.
Devemos encarar a mediunidade como mais uma oportunidade de melhoramento próprio e de ajuda ao próximo - deste ponto de vista, se pode dizer que a mediunidade é uma missão, porém atrelada as nossas necessidades de prova e expiação, do mesmo modo que a paternidade e a maternidade, por exemplo: missão no sentido de orientar os filhos e prova/expiação quando recebemos em nossa família desafetos como filhos.

5. Os livros foram escritos justamente para nos trazer, conforme nossas capacidades de entendimento, os ensinamentos de que necessitamos; são para serem estudados; por isso é que se diz que o conhecimento liberta; para seguir os ensinamentos de Jesus, como diz o texto, é só não esquecer o mandamento que engloba todos os outros: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.
E de qualquer modo, nossos mentores estão sempre nos intuindo pelos caminhos do bem - é só ter ouvidos para ouvir e olhos para ver...
1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo