Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > O Livro dos Médiuns
SEGUNDA PARTE-DAS MANIFESTAÇÕES-Capítulo XIII-Da psicografia–itens 155-158 (Estudo 30 de 133)

       

Reflexões:

1. Todas as experiências descritas no texto para comunicar-se com os Espíritos, culminaram na psicografia direta, utilizada até hoje para este fim. Quais os tipos de psicografia estabelecidos e quais são suas características?

2. O que é mais importante: a natureza do instrumento utilizado ou o modo de obtenção da comunicação? Por quê?
 
SEGUNDA PARTE-DAS MANIFESTAÇÕES-Capítulo XIII-Da psicografia–itens 155-158 - Conclusão Voltar ao estudo
 
CONCLUSÃO

1. Psicografia indireta, obtida por meio de qualquer objeto, e psicografia direta ou manual, obtida pelo próprio corpo (braço/mão) do médium. "De todos os meios de comunicação, a escrita manual, que alguns denominam escrita involuntária, é, sem contestação, a mais simples, a mais fácil e a mais cômoda, porque nenhum preparativo exige e se presta, como a escrita corrente, aos maiores desenvolvimentos".

2. O que importa realmente é o modo pelo qual se obtém a comunicação não o instrumento - que nada influencia no resultado; o contrário seria "tomar o efeito pela causa, o instrumento pelo princípio"."Se a comunicação vem por meio da escrita, qualquer que seja o aparelho que sustente o lápis, o que há, para nós, é psicografia".

1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo