Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > O Livro dos Médiuns
SEGUNDA PARTE-DAS MANIFESTAÇÕES-Capítulo VII-Da bicorp.transf–itens114-125 (Estudo 23 de 133)

       

Reflexões:

1. Descreva com suas palavras o que é um médium vidente natural e como ele pode ter visto pessoas ainda encarnadas, mas que não se encontravam por perto.

2. Quando o espírito de uma pessoa encarnada sai para visitar outra, às vezes, num lugar muito distante, como o corpo permanece vivo, já que a morte física se dá pela ausência do espírito que anima a carne?

3. Como se explica a bicorporeidade?

4. Como se explica a transfiguração?

 
SEGUNDA PARTE-DAS MANIFESTAÇÕES-Capítulo VII-Da bicorp.transf–itens114-125 - Conclusão Voltar ao estudo
 
CONCLUSÃO

1. MÉDIUM VIDENTE. Dotado da faculdade permanente (ou ao menos freqüente) de ver os espíritos que se aproximam, mesmo os estranhos.
Há médiuns videntes que vêem somente os espíritos evocados, que conseguem descrever com exatidão quanto aos gestos, expressão fisionômica, traços característicos do rosto, roupas e até sentimentos que revelam.
E há os que podem ver toda a população espírita do ambiente no seu ir e vir, e entregue a seus afazeres.
Este médium citado no estudo, pode ver a alma dos encarnados enquanto estes dormiam, na emancipação da alma durante o sono físico, o que se dá do mesmo modo que com os desencarnados.

2. Porque a alma do encarnado jamais se ausenta do corpo físico completamente; permanece ligada a ele por um cordão fluídico, muitas vezes, chamado de cordão de prata, o qual pode ser visualizado pelo médium vidente e por outros espíritos, o que caracteriza o espírito ainda preso à carne.

3. BICORPOREIDADE. Presença simultânea do ser encarnado em dois lugares diferentes (próximos ou distantes entre si). Esse fenômeno é explicado pelo desdobramento: enquanto o corpo físico fica num determinado lugar, o espírito se transporta para outro, tornando-se visível e até tangível. O espírito, no entanto, não se separa totalmente do corpo, ficando a ele ligado por um cordão luminoso, denominado laço fluídico.

1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo