Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > André Luiz > Libertação
Operações seletivas (Estudo 5 de 20)

       

Amigos, selecionei uma frase do capítulo em estudo no qual o resume com muita sabedoria:

...porque ninguém escapará aos resultados das próprias obras, quanto o fruto não foge às propriedades da árvore que o produziu....

Que a luz e a paz do nosso Mestre estejam com todos.


------------------------

Tema: Operações seletivas
Referência: Capítulo V
Dia: 06/09/2001
Duração: 07 dias


Resumo do capítulo


...O esquisito palácio guardava a forma de enorme hexágono, alongando-se para cima em torres pardacentas, e reunia muitos salões consagrados a estranhos serviços....

...Reparei que a multidão se constituía, em sua quase totalidade, de almas doentes. Muitos padeciam desequilíbrios mentais visíveis...

...O perispírito de todos os que aí se enclausuravam, pacientes e expectadores mostrava a mesma opacidade do corpo físico. Os estigmas da velhice, da moléstia e do desencanto, que perseguem a experiência humana, ali triunfavam, perfeitos...
Alguns servidores da casa, em trajes característicos, separavam, por grupos vários, as pessoas desencarnadas que entrariam, naquele momento, em seleção para julgamento oportuno.
Discretamente, o Instrutor elucidou-nos:
- Presenciamos uma cerimônia semanal dos juízes implacáveis que vivem sediados aqui. A operação seletiva realiza-se com base nas irradiações de cada um. ...
....Respeitado o nosso trio pelos selecionadores que não nos alteraram a união, situávamo-nos agora, no campo das vítimas.

...É imperioso reconhecer, porém, que a maioria das almas asiladas neste sítio vieram ter aqui, obedecendo a força de atração. Incapazes de perceber a presença dos benfeitores espirituais que militam entre os homens encarnados, em tarefas de renunciação e benevolência, em vista do baixo teor vibratório em que se precipitaram, através de delitos reiterados, da ociosidade impenitente ou da deliberada cristalização no erro, não encontraram senão o manto de sombras em que se envolveram e, desvairadas, sozinhas, procuraram as criaturas desencarnadas que com elas se afinam, agregando-se naturalmente a este imenso cortiço, com toda a bagagem de paixões destruidoras que lhes marcam a estrada. Aportando aqui, sofrem, porém, a vigilância de inteligências poderosas e endurecidas que imperam ditatorialmente nestas regiões, onde os frutos amargos da maldade e da indiferença enchem o celeiro dos corações desprevenidos e maliciosos.
-Oh! - exclamei em voz sussurrante - por que motivo confere o Senhor atribuições de julgadores a Espíritos despóticos? Por que estará a justiça, nesta cidade estranha, em mãos de príncipes diabólicos?
Gúbio estampou na fisionomia significativa expressão e ajuntou:
- Quem se atreveria a nomear um anjo de amor para exercer o papel de carrasco? Ao demais, como acontece na Crosta Planetária, cada posição alem da morte, é ocupada por aquele que a deseja e procura...

....Que solenidade religiosa era aquela? As poltronas suspensas eram, em tudo, idênticas à "sedia gestarória" das cerimônias papaínas.
Os julgadores, por sua vez, desceram, pomposos, dos tronos içados e tomaram assento numa espécie de nicho a salientar-se de cima, inspirando silencio e temor, porque a turba inconsciente, em redor, calou-se de súbito.

....Terminado aquele ruído, um dos julgadores se levantou e dirigiu-se à massa, aproximadamente nestes termos:
- "Nem lágrimas, nem lamentos
Nem sentença condenatória, nem absolvição gratuita.
Esta casa não pune, nem recompensa.
A morte é caminho para a justiça.
Escusado qualquer recurso à compaixão entre criminosos.
Não somos distribuidores de sofrimento, e sim, mordomos do Governo do Mundo.
Nossa função é a de selecionar delinqüentes, a fim de que as penas lavradas pela vontade de cada um sejam devidamente aplicadas em lugar e tempo justos.
Quem abriu a boca para vilipendiar e ferir, prepare-se a receber, de retorno, as forças tremendas que desencadeou através da palavra envenenada.
Quem abrigou a calúnia, suportará os gênios infelizes aos quais confiou os ouvidos.
Quem desviou a visão para o ódio e para a desordem, descubra novas energias para contemplar os resultados do desequilíbrio a que se consagrou, espontaneamente.
Quem utilizou as mãos em sementeiras de malícia, discórdia, inveja, ciúme e perturbação deliberadas, organize resitência para a colheita de espinhos.
Quem centralizou os sentidos no abuso de faculdades sagradas espere, doravante, necessidades enlouquecedoras, porque as paixões envilecentes, mantidas pela alma no corpo físico, explodem aqui, dolorosas e arrasadoras...
Seguidores do vício e do crime, tremei !
Condenados por vós mesmos, conservais a mente prisioneira das mais baixas forças da vida, à maneira do batráquio encarcerado no visco do pântano, ao qual se habituou no transcurso dos séculos !...

....nosso orientador, que me falou em silencio:
- O julgador conhece à saciedade das leis magnéticas, nas esferas inferiores, e procura hipnotizar as vítimas em sentido destrutivo, não obstante usar, como vemos, a verdade contundente.
- Não vale acusar a debilidade desta colônia - prosseguiu a voz trovejante -, porque ninguém escapará aos resultados das próprias obras, quanto o fruto não foge às propriedades da árvore que o produziu....

...Exasperado, o julgador bradou, colérico:
- Perdão? Quando desculpastes sinceramente os companheiros da estrada? Onde está o juiz reto que possa exercer, impune, a misericórdia?
E incidindo toda a força magnética que lhe era peculiar, através das mãos, sobre uma pobre mulher que o fixava, estarrecida, ordenou-lhe com voz soturna:
- Venha ! Venha !
Com expressão de sonâmbula, a infeliz obedeceu à ordem, destacando-se da multidão e colocando-se, em baixo, sob os raios positivos da atenção dele.
- Confesse ! Confesse ! - determinou o desapiedado julgador...
...Matei quatro filhinhos inocentes e tenros... e combinei o assassínio de meu intolerável esposo... O crime, porém, é um monstro vivo. Perseguiu-me, enquanto me demorei no corpo...Tentei fugir-lhe através de todos os recursos, em vão...e por mais buscasse afogar o infortúnio em "bebidas de prazer", mais me chafurdei... no charco de mim mesma...
De repente, parecendo sofrer a interferência de lembranças menos dignas, clamou:
-Quero vinho ! vinho ! prazer! ...
Em vigorosa demonstração de poder, afirmou triunfante, o magistrado:
- Como liberar semelhante fera humana ao preço de rogativa e lagrimas? ...
...- A sentença foi lavrada por si mesmo! não passa de uma loba, de uma loba, de uma loba...
A medida que repetia a afirmação, qual se procurasse persuadi-la a sentir-se na condição do irracional mencionado, notei que a mulher, profundamente influenciável, modificava a expressão fisionômica...
...Via-se, patente, naquela exibição de poder o efeito do hipnotismo sobre o corpo perispirídico.

Em voz baixa, procurei recolher o ensinamento de Gúbio, que me esclareceu num cicio:
- O remorso é uma benção, sem dúvida, por levarno-nos à corrigenda, mas também é uma brecha, através da qual o credor se insinua, cobrando pagamento. A dureza coagula-nos a sensibilidade durante certo tempo; todavia, sempre chega um minuto em que o remorso nos descerra a vida mental aos choques de retorno das nossas próprias emissões....
...- Temos aqui a gênese dos fenômenos de licantropia, inextricáveis, ainda, para a investigação dos médicos encarnados...O hipnotismo é tão velho quanto o mundo e é recurso empregado pelos bons e pelos maus, tomando-se por base, acima de tudo, os elementos plásticos do perispírito.

...Finda longa pausa, o instrutor informou, com tristeza:
- Ela não passaria por esta humilhação se não merecesse. Além disso, se se adaptou às energias positivas do juiz cruel, em cujas mãos veio a cair, pode também esforçar-se intimamente, renovar a vida mental para o bem supremo e afeiçoar-se à influenciação de benfeitores que nunca escasseiam na senda redentora. Tudo, André, em casos como este, se resume a problemas de sintonia. Onde colocamos o pensamento, aí se nos desenvolverá a própria vida.

O magistrado, que detinha a palavras, determinou silencio e exprobrou, asperamente, a atitude dos queixosos. Logo em seguida, notificou que os Espíritos Seletores se materializariam, em breves minutos, e que os interessados poderiam solicitar deles as explicações que desejassem...
E pouco a pouco, diante de nossos olhos assombrados, três entidades tomaram formas perfeitamente humana, apresentando uma delas a que o porte guardava maior autoridade hierárquica, pequeno instrumento cristalino nas mãos...

...Alçou ele o instrumento cristalino, à frente do primeiro grupo, formado de catorze homens e mulheres de vários tipos....Antes porém que se retirassem, dois membros do conjunto avançaram implorando socorro:
Justiça! justiça ! - suplicou o primeiro - estou punido sem culpa... Fui homem de pensamento e de letras, entre as criaturas encarnadas...Por que deverei suportar a companhia dos avarentos?
... e o segundo interferiu, ajuntando:
- Magistrado venerável, por quem sois!...não pertenço a classe dos sovinas. Imantaram-me a seres sórdidos e desprezíveis! Minha vida transcorreu entre livros, não entre moedas... A ciência fascinou-me os estudos eram meu tema predileto... Pode, assim o intelectual equiparar-se ao usuário?
O dirigente...
Clamais debalde, porque desagradável vibração de egoísmo cristalizante vos caracteriza a todos. Que fizeste do tesouro cultural recebido? Vosso "tom vibratório" demonstra avareza sarcástica. O homem que ajunta letras e livros, teorias e valores científicos, sem distribuí-los a benefício dos outros, é irmão infortunado daquele que amontoa moedas e apólices, títulos e objetos preciosos, sem ajudar a ninguém. O mesmo prato lhes serve na balança da vida...

Auscultava uma formação de oito pessoas:...um cavaleiro de faces macilentas salientou-se e exclamou, estadeando enorme fúria:
- Que ocorre neste recinto misterioso? estou entre caluniadores confessos, quando desempenhei o papel de homem honrado..Criei numerosa família, nunca traí as obrigações sociais, fui correto e digno e, não obstante aposentado desde cedo cumpri todos os deveres que o mundo me assinalou...
O selecionador elucidou, sereno:
- A condenação transparece de vós mesmo. Caluniastes vosso próprio corpo inventando para ele impedimentos e enfermidades que só existiam em vossa imaginação, interessada na fuga ao trabalho benéfico e salvador. Debitastes aos órgãos robustos deficiências e moléstias deploráveis, tão somente no propósito de conquistardes repouso prematuro...Agora é razoável que o vosso círculo vital se identifique ao de quantos se mergulharam no pântano da calúnia criminosa.

Alcançando o terceiro grupo, constituído de mulheres diversas....uma senhora, pavorosamente desfigurada, que lhe lançou em rosto atrozes queixas;
- Por que tamanha humilhação? - inquiriu em prantos copioso - fui dona de uma casa que me encheu de trabalho, voltei para cá rodeada de especiais considerações, naturalmente devidas ao meu estado social e arrebanham-me entre mulheres sem pudor? que autoridades são estas que impõem a mim, dama de nobre procedência, o convívio de meretrizes?
O selecionador..
...Consultai a própria consciência. Tereis sido, realmente, a padroeira de um lar respeitável, como julgais? O teor vibratório assevera que as vossas energias santificantes de mulher, em maior parte, foram desprezadas. Vossos arquivos mentais se reportam a desregramentos emotivos em cuja extinção gastareis longo tempo. Ao que parece, o altar doméstico não foi bem o vosso lugar.

... Ao nosso lado, aplicou o instrumento, em que se salientavam pequeninos espelhos e falou para os auxiliares, definindo-nos a posição:
- Entidades neutras.
Fixou-nos com penetrante fulguração de olhar como se nos surpreendesse, mudo, as intenções mais profundas e passou adiante.
Instado por mim, Gúbio esclareceu:
- Não fomos acusados. Ser-nos-á possível o engajamento no serviço desejado.
Pouco a pouco, a cerimônia terminou com a mesma imponência de culto externo em que se havia iniciado e, sob vigilância das sentinelas, tornamos ao ponto de origem, guardando inesperadas meditações.


QUESTÕES PARA ESTUDO FRATERNO:


1 - Qual a força que fez com que aqueles espíritos ficassem unidos, naquele local?

2- Vamos fazer comentários sobre os seguinte textos do capítulo em estudo:

I - André Luiz se supreendeu que os juízes fossem pessoas diabólicas. Vamos comentar a resposta de Gúbio.

II - "Não somos distribuidores de sofrimento, e sim, mordomos do Governo do Mundo.Nossa função é a de selecionar delinqüentes, a fim de que as penas lavradas pela vontade de cada um sejam devidamente aplicadas em lugar e tempo justos."

III - Dentro da Lei Divina, a que Lei a que se referem as seguintes afirmações:
Quem abriu a boca para vilipendiar e ferir... Quem abrigou a calúnia... Quem desviou a visão para o ódio e para a desordem, .... Quem utilizou as mãos em sementeiras de malícia, discórdia, inveja, ciúme e perturbação deliberadas, ... Quem centralizou os sentidos no abuso de faculdades sagradas ...

3 - Que força foi usada pelos juizes para sentenciar a mulher que matou quatros filhos e seu esposo. De que forma pode ser revertida as condições na qual ela foi transformada?

4 - De que forma os selecionadores percebiam e julgavam os vícios dos espíritos, devidamente, agrupados?

5 - Qual a atitude que devemos ter em relação ao remorso em nossas vidas?

6 - A que se refere a seguinte frase: "Onde colocamos o pensamento, aí se nos desenvolverá a própria vida." Diante dessa afirmação, que preocupação devemos ter na nossa vida?

BIBLIOGRAFIA:

O Livro dos Espíritos - Capitulo VI, Parte ª - Cap.II pergs.:965 a 1009
A Gênese - Cap.XIV item 7 a 15

  Conclusão deste estudo 
1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo