Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Educar      Família      
Home > O Livro dos Espíritos
Provas da Riqueza e da Miséria (Estudo 140 de 193)

       


a) As provas sao escolhidas pelos próprios Espíritos Reencarnantes, os quais
muitas vezes sucumbem ao realizá-las.

b) Tanto a prova da miséria , quanto a da riqueza são perigosas, pois uma
provoca a murmuração contra a Providência e outra leva a todos os excessos.

c) A riqueza faz aumentar as necessidades. Fazendo com que aquele que
detenha a prova da riqueza se torne egoísta, orgulhoso e insaciável,
deixando de fazer o bem.

d) A posição elevada no mundo e a autoridade são provas tão grandes quanto a
miséria. Quanto mais rico e poderoso for o homem, mais obrigações tem ele a
cumprir; bem como mais meios para fazer tanto o bem , quanto o mal. A
riqueza e o poder despertam as paixões que nos prendem à matéria. O rico é
experimentado pelo uso que faz de seus bens e de seu poder.

QUESTÕES INICIAIS PARA ESTUDO E PARTICIPAÇÃO:

01) Qual o motivo para que uns recebam a riqueza e outros a pobreza ou
miserabilidade como prova ?

02) Qual a diferença entre a prova da pobreza e a prova da riqueza?Por que?

03) Aqueles que enfrentam a prova da riqueza são os que têm maior meio para
fazer o bem?E o fazem? Justificar

04) Diante do quadro socio-econômico existente hoje no Planeta Terra, como
podemos entender o uso e a distribuição dos bens e poder ? E quais suas
consequências?
 
Provas da Riqueza e da Miséria - Conclusão Voltar ao estudo
 

01) Qual o motivo para que uns recebam a riqueza e outros a pobreza ou
miserabilidade como prova ?

O LE nos diz que as provas são escolhidas pelos próprios Espíritos, em
conformidade com sua necessidade de evolução, reajuste e crescimento.
Assim constitui-se a prova de riqueza ou da pobreza em um aspecto de nosso
aprendizado, aquele que mais mais propício for para o nosso crescimento.

02) Qual a diferença entre a prova da pobreza e a prova da riqueza?Por que?

Não há diferenças entre uma prova e outra, as duas possuem o mesmo grau de dificuldade.
Na prova da pobreza treina-se a humildade, a resignação e a esperança. Na prova da riqueza são desenvolvidos a caridade, a solidariedade e a previdência.
No entanto, tudo dependerá da própria evolução do Espírito que as enfrentam : poderá sucumbir ou atravessá-la equilibradamente.

03) Aqueles que enfrentam a prova da riqueza são os que têm maior meio para
fazer o bem?E o fazem? Justificar.

Embora tenha ele meios materiais para um exercício maior do bem; nem sempre o faz, uma vez que torna-se insaciável, querendo aumentar cada vez mais sua fortuna e deixa-se levar pelo egoísmo e o orgulho se impossibilitando de fazer bom uso de seus bens e do poder que detém através dele.
No entanto, em se tratando de fazer o bem, todos , ricos ou pobres, podem fazê-lo. Lembremos que nem sempre o recurso financeiro enxuga a lágrima, estimula a esperança ou esclarece sobre Jesus.


04) Diante do quadro socio-econômico existente hoje no Planeta Terra, como
podemos entender o uso e a distribuição dos bens e poder ? E quais suas
consequências?

É necessário entender que o progresso se faz de forma individual, para então se refletir de forma coletiva. Acontece, porém, que que o progresso da sociedade como um todo é mais lento, porque é a resultante do progresso de cada um de seus membros.
Individualmente somos melhores(ou deveriamos pelo menos ser) do que éramos a 200, 300 anos atrás.; mas precisamos compreender que , embora evoluindo sempre, ainda trazemos muitos sentimentos negativos.
Necessário nos é , ainda, haja a divisão socio-econômica com vistas a nos
"empurrar" para que o progresso e a evolução se dê(itens 779/785). Todos
aqueles que são detentores do poder e da riqueza serão chamados a responder pelos seus atos , pelo uso que delas fizeram.
Mas em nosso estágio atual , como disse bem o RÔmulo, " homem ainda dá muito valor ao poder e ao dinheiro. É o resultado da sua curta visão sobre a vida futura. Em razão disso, a desigualdade campeia"
Podemos entender esse quadro como conseqüência do padrão evolutivo da criatura humana, que progrediu na horizontalidade do conhecimento, mas ainda é leiga na verticalidade do sentimento. As conseqüências: conflitos e perturbações, que geram novos endividamentos, que produzem novas reencarnações, até que, pela razão ou pela dor, todos aprendamos que Deus é Amor.
E nos lembrar sempre, conforme salientou bem a Sueli, "de nossas responsabilidades em cada ato. Cada pessoa tem sua parcela de integração na distribuição dos bens e na definição do poder. A somatória destes atos de cada indivíduo nos devolve a realidade da qual respiramos hoje."


" Respeita a moeda capaz de fazer o caminho das boas obras, mas não esperes pelo dinheiro a fim de ajudar.
Hoje mesmo, em casa, alguém te pede entendimento e carinho e, além do reduto doméstico, legiões de pessoas aguardam-te os gestos de fraternidade e compreensão.
Recorda que a fonte da caridade tem nascedouro em ti mesmo e não descreias da possibilidade de auxiliar."
(Francisco Cândido Xavier por Meimei)

1998-2009 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo