Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > A Gênese
Curas (itens 31 a 34) (Estudo 97 de 136)

       

1.- O fluido universal é o elemento primitivo do corpo carnal e do perispírito, que são simples transformações dele. Pela identidade da sua natureza, esse fluido, condensado no perispírito, pode fornecer princípios reparadores ao corpo. O
espírito, encarnado ou desencarnado, é o agente propulsor que infiltra num corpo deteriorado uma parte da substância
do seu envoltório fluídico. A cura se opera mediante a substituição de uma molécula malsã por uma molécula sã.

2.- O poder curativo estará, pois, na razão direta da pureza da substância inoculada, mas, depende também da energia
da vontade que, quanto maior for, tanto mais abundante emissão fluídica provocará e tanto maior força de penetração
dará ao fluido. Depende, ainda, das intenções daquele que deseje realizar a cura, seja homem ou espírito.

3.- São extremamente variados os efeitos da ação fluídica sobre os doentes, de acordo com as circunstâncias. Algumas
vezes, é lenta e reclama tratamento prolongado, como no magnetismo ordinário; doutras, é rápida, como uma corrente
elétrica. Há pessoas dotadas de tal poder, que operam curas instantâneas em alguns doentes, por meio apenas da
imposição das mãos ou, até, exclusivamente por ato da vontade.

4.- Entre os dois pólos extremos dessa faculdade, há infinitos matizes. Todas as curas desse gênero são variedades do
magnetismo e só diferem pela intensidade e pela rapidez da ação. O princípio é sempre o mesmo: o fluido, a desempenhar
o papel de agente terapêutico e cujo efeito se acha subordinado à sua qualidade e a circunstâncias especiais.

5.- A ação magnética pode se produzir de muitas maneiras:

1º - pelo próprio fluido do magnetizador. É o magnetismo propriamente dito ou magnetismo humano, cuja ação se acha
adstrita à força e, sobretudo, à qualidade do fluido;

2º - pelo fluido dos Espíritos, atuando diretamente e sem intermediário sobre um encarnado, seja para o curar ou acalmar
um sofrimento, provocar o sono sonambúlico espontâneo ou exercer sobre o indivíduo
uma influência física ou moral qualquer. É o magnetismo espiritual, cuja qualidade está na razão direta das qualidades do
Espírito;

3º - pelos fluidos que os Espíritos derramam sobre o magnetizador, que serve de veículo para esse derramamento. É o magnetismo misto, semi-espiritual ou, se o preferirem, humano-espiritual. Combinado com o fluido humano, o fluido
espiritual lhe imprime qualidades de que ele carece. Em tais circunstâncias, o concurso dos Espíritos é, amiúde,
espontâneo. Porém, as mais das vezes, é provocado por um apelo do magnetizador.

6.- A faculdade de curar pela influência fluídica é comum e pode desenvolver-se por meio do exercício. Mas a de curar instantaneamente, pela imposição das mãos, essa é mais rara e o seu grau máximo se deve considerar excepcional.
Em épocas diversas e no seio de quase todos os povos, surgiram indivíduos que a possuíam em grau eminente. Nestes
últimos tempos, apareceram muitos exemplos notáveis, cuja autenticidade não sofre contestação. Uma vez que as curas
desse gênero assentam num princípio natural e que o poder de operá-las não constitui privilégio, o que se segue é que
elas não se operam fora da Natureza e que só são miraculosas na aparência.



QUESTÕES PARA ESTUDO

a) Como se dá a cura de uma enfermidade física através do magnetismo?

b) Que circunstancias podem influir para a ocorrência da cura?

c) De que formas pode se dar a ação magnética?

d) Qual a conseqüência do conhecimento do magnetismo diante dos chamados "milagres"?
 
Curas (itens 31 a 34) - Conclusão Voltar ao estudo
 
C O N C L U S Ã O

Pela identidade com o perispírito quanto à sua natureza, o fluido cósmico universal pode fornecer princípios reparadores ao corpo físico. O espírito, encarnado ou desencarnado, é o agente propulsor que infiltra num corpo deteriorado uma parte da substância do seu envoltório fluídico, substituindo uma molécula malsã por uma molécula sã, levando à cura. O poder curativo estará, pois, na razão direta da pureza da substância inoculada, mas, depende, também, da energia da vontade, segundo as intenções daquele que deseje realizar a cura, seja homem ou espírito.

QUESTÕES PROPOSTAS PARA ESTUDO

a) Como se dá a cura de uma enfermidade física através do magnetismo?

R - A cura de uma enfermidade física através do magnetismo se dá pela transfusão de uma parte da substância do envoltório fluídico de um espírito, encarnado ou desencarnado, no organismo enfermo. Este fluido doado ao enfermo fornece princípios reparadores ao corpo, mediante a substituição de uma molécula malsã por uma molécula sadia. O poder curativo está na razão direta da pureza da substância transfundida, fenômeno que se explica pelo fato de serem o corpo carnal e o perispírito constituídos de elementos extraídos do fluido cósmico universal, do qual são simples transformações e de onde também são tirados os fluidos curadores.

b) Que circunstancias podem influir para a ocorrência da cura?

R - A ação curadora é condicionada à energia da vontade, conforme as intenções do agente que opera a emissão fluídica, esteja ele encarnado ou desencarnado. Quanto maior for a sua vontade de curar e mais puros forem os fluidos doados, mais abundante será a emissão fluídica e com maior poder de penetração. O fator intenção também é importante para determinar a natureza dos fluidos a serem doados. Os fluidos que emanam de uma fonte pura têm a mesma natureza, exercendo função terapêutica. Os emanados de uma fonte impura, ao contrário, são deletérios e somente poderá agravar a enfermidade.

A ação fluídica sobre os doentes pode se dar lentamente, reclamando tratamento prolongado, como no magnetismo ordinário ou de modo rápido, através de pessoas dotadas de tal poder, que operam curas instantâneas, por meio apenas da imposição das mãos, ou, até, exclusivamente por ato da vontade. O princípio, no entanto, é sempre o mesmo: o fluido, a desempenhar o papel de agente terapêutico e cujo efeito se acha subordinado à sua qualidade e a circunstâncias especiais.

c) De que formas pode se dar a ação magnética?

R - Segundo Kardec, a ação do magnetismo pode se dar pelo fluido do próprio magnetizador, dos espíritos ou de ambos, simultaneamente. Na primeira hipótese, é o magnetismo humano, resultante unicamente da força e da qualidade dos fluidos do magnetizador, sem a interferência espiritual, cuja ação é compatível com a força e a qualidade do fluido; na segunda, é produzida pelos fluidos dos espíritos, que atuam diretamente sobre o enfermo, sem a participação de encarnados, para promover a cura, diminuir-lhe o sofrimento, provocar o sonambulismo ou influenciá-lo fisica ou moralmente. É o magnetismo espiritual puro; e, na terceira hipótese, o magnetismo é produzido pelos fluidos que os espíritos derramam sobre o magnetizador encarnado, que lhe serve de veículo. É o magnetismo misto, semi-espiritual ou humano-espiritual. Neste caso, há uma combinação de fluidos humanos com fluidos espirituais, que imprimem aos primeiros qualidades que não possuem. Nestes casos, o concurso dos espíritos pode ser espontâneo ou, mais comumente, buscado pelo agente magnetizador.

d) Qual a conseqüência do conhecimento do magnetismo diante dos chamados "milagres"?

R - Esclarecendo a atuação do magnetismo sob a regência de leis puramente naturais, o Espiritismo desmistificou os chamados "milagres", até então a única explicação para a ocorrência de fenômenos cujos mecanismos eram desconhecidos. Trazendo o tema para o campo da Ciência, o Espiritismo demonstra que milagre, como uma exceção às Leis Naturais, não existe. A faculdade de curar pela influência fluídica é natural e pode desenvolver-se por meio do exercício. A de curar instantaneamente, pela imposição das mãos, é mais rara e o seu grau máximo se deve considerar excepcional. Assentando-se num princípio natural, as curas desse gênero não se operam fora das Leis Naturais, sendo consideradas miraculosas apenas na aparência.

1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo