Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > A Gênese
Encarnação dos espíritos - 3ª parte (itens 28 a 32) (Estudo 75 de 136)

       

1.- Quando os Espíritos adquiriram em um mundo a soma de progresso que comporta o estado daquele mundo, eles o deixam para reencarnar em outro mais adiantado, onde adquirem novos conhecimentos até o ponto em que já não precisarão mais de uma corpo material, passando a viver exclusivamente na vida espiritual na qual progridem ainda em um outro sentido e por outros meios.

2.- Ao chegar ao ponto máximo do progresso, passam a gozar da suprema felicidade e tornam-se mensageiros de Deus para o governo dos mundos. Assim todos os Espiritos, encarnados e desencarnados em qualquer grau de evoluçao em que se encontrem desde o menor até o maior, tem suas atribuiçoes no grande mecanismo do Unirverso.

3.- A coletividade dos Espiritos é de alguma forma, a alma do Universo. É o elemento espiritual que age em todas as partes, sob o impulso do pensamento divino. Pela ação do elemento espiritual individualizado, tudo tem uma finalidade, uma razão de ser.

4.- Os Espiritos humanos ocuparam a Terra quando esta se encontrou com condições climáticas para recebe-los. De onde eles vieram? Deixemos de lado a questao insoluvel (por enquanto) e tomemos o Espirito no momento em que se manifestam nele os primeiros germens do livre arbítrio e do senso moral.

5.- Os primeiros homens deviam ser pouco adiantados o que os fazia encarnar em corpos muito imperfeitos e devia haver entre eles diferenças sensiveis nos seus caracteres e aptidões. Os Espiritos se agruparam com semelhança ou seja pela analogia e pela simpatia. A Terra achou-se povoada por diferentes categorias de Espiritos, mais ou menos aptos ou rebeldes ao progresso.
Os corpos recebem a característica do Espirito, e esses corpos se procriam segundo seu tipo respectivo daí resultando diferentes raças, tanto no físico como no moral.

6.- Pode-se comparar os Espíritos que vieram povoar a Terra a grupos de imigrantes de origens diversas que vão se estabelecer em uma terra virgem. Se agrupam pela analogia de origens e de gostos e acabem por formar tribos cada qual com seu costume e seu carater próprio.

7.- O progresso nao foi uniforme em toda a espécie humana, algumas raças progrediram mais que outras. Espíritos recentemennte nascidos na vida espiritual vindo a se encarnar na Terra tornam mais sensiveis a diferença do progresso.

8.- .Esses Espíritos de selvagens, entretanto, pertencem tambem a humanidade; atingirão um dia o nivel de seus irmãos mais velhos, mas certamente isso nao se dará no corpo da mesma raça física, impróprio a um certo desenvolvimento intelectual e moral. Quando estiverem mais evoluidos encarnarão em um grau superior até que hajam conquistado todos os graus terrestres, deixando este planeta para passar a mundos mais adiantados.




QUESTÕES PARA ESTUDO


a) Por que o espírito não encarna sempre no mesmo planeta?

b) São intermináveis as encarnações do espírito?

c) Como se iniciou a povoação da Terra?

d) Como surgiu a diversidade de raças e povos na Terra?

e) Segundo Kardec, foi uniforme o progresso da espécie humana?
 
Encarnação dos espíritos - 3ª parte (itens 28 a 32) - Conclusão Voltar ao estudo
 
C O N C L U S Ã O

Quando o espírito adquire em um mundo a soma de progresso que ele comporta, deixa-o para reencarnar em outro mais adiantado, onde possa adquirir novos conhecimentos. Os primeiros espíritos que encarnaram na Terra deviam ser pouco adiantados, o que os fazia encarnar em corpos muito imperfeitos. Entre eles devia haver diferenças sensíveis nos seus caracteres e aptidões, agrupando-se conforme suas semelhanças.

QUESTÕES PROPOSTAS PARA ESTUDO

a) Por que o espírito não encarna sempre no mesmo planeta?

R - O espírito encarna num planeta compatível com o seu nível evolutivo e que atenda às condições necessárias ao seu progresso. Quando, num determinado mundo, o espírito já realizou a soma de progresso que o estado desse mundo comporta, deixa-o, para encarnar em outro mais adiantado, que lhe permita adquirir novos conhecimentos. Assim, o espírito pode vir a encarnar num planeta diferente, sempre que se adiantar ao estágio evolutivo daquele onde estiver encarnando. O mesmo pode se dar em sentido contrário, ou seja, quando o espírito não evolui e não consegue acompanhar o progresso do planeta. Na primeira hipótese, emigra para um mundo superior; na segunda, para um inferior.
b) São intermináveis as encarnações do espírito?

R - A encarnação do espírito se dá até que, não lhes sendo mais de proveito algum, passa a viver exclusivamente da vida espiritual, na qual continua a progredir, mas noutro sentido e por outros meios. Chegado ao ponto culminante do progresso, goza da suprema felicidade e torna-se mensageiro de Deus para o governo dos mundos.

c) Como se iniciou a povoação da Terra?

R - Quando a Terra se encontrou em condições climáticas apropriadas à existência humana, encarnaram nela espíritos, que
se revestiram de corpos adequados às suas necessidades e às suas aptidões, fisionomicamente, com as características da animalidade. Não nos é ainda possível, contudo, conhecer a origem dos primeiros espíritos, se criados naquele momento ou
se chegaram completamente formados do espaço, de outros mundos ou da própria Terra. Como quer que tenha sido, destaca Kardec que esses corpos foram gradativamente se aperfeiçoando, à medida que os espíritos progrediam, adquirindo novas aptidões, que exigiam corpos mais sutis e menos brutos.

d) Como surgiu a diversidade de raças e povos na Terra?

R - Embora assemelhados pelo pouco adiantamento moral e intelectual, os espíritos que iniciaram o povoamento da Terra, por certo, possuíam diferentes caracteres e aptidões. Desta maneira, a Terra foi povoada de espíritos com características diversas, que se agruparam naturalmente, conforme a analogia e simpatia existentes entre eles. Como os corpos trazem impressos os caracteres dos espíritos, a procriação se deu conforme os respectivos tipos, resultando diferentes raças. Agrupando-se por analogia de origens e de gostos, formaram grupos, tribos e, finalmente, povos, cada qual com costumes e caracteres próprios, resultando daí diferentes raças, quer quanto ao físico, quer quanto ao moral.

e) Segundo Kardec, foi uniforme o progresso da espécie humana?

R - O progresso não foi uniforme em toda a espécie humana. Algumas raças progrediram mais que outras, daí as desigualdades existentes na Terra, onde alguns continentes atingiram o progresso antes de outros. Todos, porém, inclusive os povos considerados selvagens, alcançarão, algum dia, o nível de evolução em que hoje se encontram os mais adiantados.

1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo