Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > A Gênese
Formação primária dos seres vivos (itens 1 a 8) (Estudo 63 de 136)

       

1.- À medida que o globo terrestre foi adquirindo as condições necessárias às suas existências, as diversas espécies
animais foram aparecendo. Uma dúvida, no entanto, ainda não foi esclarecida pela ciência: essas espécies surgiram de
um único casal primitivo ou de muitos casais germinados simultaneamente em diversos pontos.

2.- Kardec considera a segunda hipótese a mais provável, conforme observações com base na própria ciência. O estudo
das camadas geológicas do globo atesta a presença das mesmas espécies animais em pontos afastados uns dos outros.
Essa multiplicação generalizada e, de certo modo, contemporânea, fora impossível com um único tipo primitivo. Além
disso, considerando-se a segurança com que se dá a Criação, seria imprevidência do Criador sujeitar a pluralidade das
espécies a um único casal, considerando-se as vicissitudes a que está sujeita a vida na Terra. Tudo, pois, indica que
houve criação simultânea e múltipla dos primeiros casais de cada espécie animal e vegetal.

3.- A formação dos primeiros seres vivos se pode deduzir, por analogia, da mesma lei em virtude da qual se formaram e
formam todos os dias os corpos inorgânicos. A Química considera elementares umas tantas substâncias, como o
oxigênio, o hidrogênio, o azoto, o carbono, o cloro, o iodo, o flúor, o enxofre, o fósforo e todos os metais. Combinando-se,
elas formam os corpos compostos: os óxidos, os ácidos, os álcalis, os saís e as inúmeras variedades que resultam da
combinação destes.


4.- A combinação de dois corpos para formar um terceiro exige especial concurso de circunstâncias: seja um determinado
grau de calor, de sequidão, ou de umidade; seja o movimento ou o repouso; seja uma corrente elétrica, etc. Se essas circunstâncias não se verificarem, a combinação não se operará. Quando há combinação, os corpos componentes perdem
suas propriedades características, enquanto o composto que deles resulta adquire outras, diferentes das daqueles.

5.- É assim, por exemplo, que o oxigênio e o hidrogênio, que são gases invisíveis, quimicamente combinados formam a
água, que é líquida, sólida, ou vaporosa, conforme a temperatura. Na água, a bem dizer, já não há oxigênio nem hidrogênio,
mas um corpo novo. Decomposta essa água, os dois gases, tornados livres, recobram suas propriedades: já não há água.
A mesma quantidade desse líquido pode ser assim, alternativamente, decomposta e recomposta, ao infinito.

6.- A composição e decomposição dos corpos se dão em virtude do grau de afinidade que os princípios elementares
guardam entre si. A formação da água, por exemplo, resulta da afinidade recíproca que existe entre o oxigênio e o
hidrogênio; mas, se se puser em contacto com a água um corpo que tenha com o oxigênio mais afinidade do que a que
este tem com o hidrogênio, a água se decompõe: o oxigênio é absorvido e o hidrogênio se liberta. Já não haverá água.

7.- Os corpos compostos se formam sempre em proporções definidas, isto é, pela combinação de uma certa quantidade
dos princípios constituintes. Assim, para formar a água, são necessárias uma parte de oxigênio e duas de hidrogênio. Se
duas partes de oxigênio forem combinadas com duas de hidrogênio, em vez de água ter-se-á o deutóxido de hidrogênio,
líquido corrosivo, formado, no entanto, dos mesmos elementos que entram na composição da água, porém noutra
proporção.

8 - Tal, em poucas palavras, a lei que preside à formação de todos os corpos da Natureza. A inumerável variedade deles
resulta de um número pequeno de princípios elementares combinados em proporções diferentes.


QUESTÕES PARA ESTUDO

a) Como se deu a aparição dos primeiros seres vivos na Terra?

b) Qual a hipótese mais provável para explicar a formação dos primeiros seres vivos?

c) Qual a explicação da Química para a composição e decomposição dos corpos?

 
Formação primária dos seres vivos (itens 1 a 8) - Conclusão Voltar ao estudo
 




À medida que o globo terrestre foi adquirindo as condições necessárias às suas existências, as diversas espécies animais foram aparecendo. O estudo das camadas geológicas do globo atesta a presença das mesmas espécies animais em pontos afastados uns dos outros. Essa multiplicação generalizada e, de certo modo, contemporânea, fora impossível com um único tipo primitivo.

QUESTÕES PROPOSTAS PARA ESTUDO

a) Como apareceram os primeiros seres vivos na Terra?

R - À época de Kardec, duas teorias buscavam explicar o aparecimento dos primeiros seres vivos na Terra: uma, defendendo que as diversas espécies surgiram de um único casal primitivo, que gerou outros que foram se reproduzindo; outra, sustentando que muitos casais foram germinados simultaneamente em diversos pontos do globo, proliferando-se, em seguida.

Kardec entende que a segunda hipótese é a mais provável, tendo-a como resultante da observação. Segundo os estudos das camadas geológicas da Terra, em terrenos de idêntica formação, são encontradas as mesmas espécies em enormes proporções e em pontos do globo muito afastados uns dos outros. Essa multiplicação generalizada e contemporânea fora impossível com um único tipo primitivo, fazendo crer que foram muitos os casais germinados simultaneamente em pontos diferentes. Por outro lado, destaca o Codificador, seria duvidar da previdência do Criador admitir-se que ele teria depositado num único casal a incumbência pela reprodução da espécie, considerando que a vida de um indivíduo nascente encontra-se sujeita a vicissitudes de natureza diversas. Os atuais conhecimentos da ciência corroboram o entendimento de Kardec, no sentido de que a geração de cada espécie foi múltipla e simultânea, esclarecendo mais, que os indivíduos de uma espécie provêm, por evolução, de outras espécies.

b) Qual a teoria aceita pela ciência para explicar a formação dos seres vivos?

R - A teoria mais aceita pela Ciência, atualmente, é a de que todas as espécies existentes no planeta Terra estão, de alguma forma, interligadas, da mais simples à mais aperfeiçoada, provindo todas de um único indivíduo, que teria surgido há, 3.600 milhões de anos, aproximadamente. Esta teoria foi defendida ainda no século XIX pelo naturalista inglês Charles Darwin, que publicou os resultados das suas pesquisas no campo da evolução das espécies no seu famoso trabalho Da origem das Espécies pela Seleção Natural. Segundo Darwin, as espécies teriam evoluído umas das outras, pelo processo da seleção natural, ou seja, os indivíduos mais aptos a sobreviver em um determinado ambiente apresentam maior probabilidade de gerar uma prole que herde as suas características genéticas, que, por sua vez, sofrem imperceptíveis mutações de geração em geração. Ao longo do tempo, o acúmulo de pequenas mutações nos genes dos indivíduos mais aptos acaba resultando em grandes modificações e aperfeiçoamentos, por vezes tão significativos que resultam em novas espécies diversas daquela original.

c) Como a Química explica a composição e decomposição dos corpos?

R - A composição e a decomposição dos corpos se dá pelo grau de afinidade que seus princípios elementares guardam entre si. Quando ocorre a combinação desses elementos, sempre em proporções definidas, os corpos componentes perdem as suas propriedades características, enquanto o novo corpo deles composto adquire outras, diferentes. A formação da água, por exemplo, resulta da afinidade recíproca que existe entre o oxigênio e o hidrogênio. A decomposição se dá quando se põe em contato um corpo que tenha maior afinidade com um dos elementos componentes, atraindo-o e decompondo aquele corpo. No exemplo citado da água, pondo-a em contacto com um corpo que tenha com um de seus elementos mais afinidade do que este tem com o outro, a água se decompõe. Este elemento é absorvido e o outro se liberta. Já não haverá água.

1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo