Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > A Gênese
Teoria da projeção (itens 1 a 2) (Estudo 55 de 136)

       

1.- Dentre as teorias que explicam a origem da Terra, a de Buffon alcançou grande notoriedade em determinada época,
não só pelo respeito que o seu autor desfrutava no mundo científico, como também por não se saber, naquele tempo,
mais do que ele disse.

2.- Segundo Buffon, movendo-se os planetas na mesma direção, do ocidente para o oriente e no mesmo plano, a
percorrer órbitas cuja inclinação não passa de sete graus, teriam eles sido postos em movimento pela mesma causa.
Formulou, então, a hipótese de que a Terra, assim como os demais planetas à época conhecidos, teria surgido em
conseqüência do choque de um cometa com o sol, provocando o destacamento de uma porção deste, que, projetada
no espaço pela sua violência, se dividiu em fragmentos. Esses fragmentos vieram a formar os planetas, que
continuaram a se mover circularmente, pela combinação das forças centrífuga e centrípeta, no sentido dado pela
direção do choque.

3.- Os planetas seriam, assim, partes da substância incandescente do Sol e, por conseguinte, também teriam sido incandescentes, em sua origem. Levaram para se resfriarem e consolidarem um tempo proporcional aos seus volumes
e, quando a temperatura o permitiu a vida lhes desponto na superfície.
4.- Ainda segundo essa teoria, em virtude do gradual abaixamento do calor central, a Terra chegaria, num certo tempo,
a um estado de resfriamento completo, que começaria pelos pólos e, pouco a pouco, atingiria todas as regiões do
globo. Esse resfriamento congelaria toda a sua massa líquida e faria desaparecer todo o ar, fenômenos que tornariam
impossível a vida no planeta, cujos seres iriam diminuindo até desaparecerem. Tal, segundo Buffon, o estado atual da
Lua, que, menor do que a Terra, seria hoje um mundo extinto, do qual a vida se acha para sempre excluída. O próprio
Sol viria a ter, afinal, a mesma sorte. Segundo seus cálculos, a Terra teria gastado cerca de 74.000 anos para chegar
à temperatura atual e, em 93.000 anos, toda a Natureza organizada seria extinta.

5.- Diante do progresso do conhecimento trazido pela Ciência, a teoria da projeção, formulada por Buffon, está quase
que totalmente descartada, porque:

1º) Acreditava-se, à época, que os cometas eram corpos sólidos, cujo encontro com um planeta poderia ocasionar a
destruição deste. Nesse caso, a teoria de Buffon nada teria de improvável. Hoje, porém, sabe-se que os cometas são
formados de uma matéria gasosa, suficientemente rarefeita para que se possam perceber estrelas de grandeza média
através de seus núcleos. Nessas condições, oferecendo menos resistência do que o Sol, impossível é que, num
choque violento com este, eles sejam capazes de arremessar ao longe qualquer porção da massa solar.

2º) A natureza do Sol é também objeto de estudo. A ciência tende a admitir que seja um globo composto de matéria
sólida, cercado de uma atmosfera luminosa, que não se acha em contato com a superfície. Não seria, pois, uma
massa incandescente, mas, sim, nebulosa, o que derrubaria a teoria de Buffon.

3º) Ao tempo de Buffon, somente se conheciam seis planetas: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter e Saturno.
Descobriram-se, depois, outros, três dos quais - Juno, Ceres e Palas - localizados entre as órbitas de Júpiter e Marte,
têm suas órbitas inclinadas de 13, 10 e 34 graus, o que não concorda com um movimento único de projeção.

4º) Com a descoberta por Fourier da lei do decrescimento do calor, constatou-se ser inexato o cálculo de Buffon de
que a Terra teria levado 74.000 anos para se resfriar. Hoje, calcula-se que o tempo de resfriamento do planeta durou
alguns milhões de anos.

5º) O cálculo de Buffon considerou apenas o calor central da Terra, sem levar em conta o dos raios solares. A
ciência atual comprova que, há muito tempo, o calor interno do globo contribui com uma parcela insignificante para a
temperatura de sua superfície. As variações dessa temperatura são devidas à ação permanente e preponderante do
calor solar. Para que a Terra se tornasse inabitável devido ao seu resfriamento, necessária seria a extinção do Sol.


QUESTÕES PARA ESTUDO

a) Como teria sido formada a Terra, segundo a teoria da projeção?

b) Por que maneira a ciência rejeita esta teoria, segundo a qual a Terra não poderia ter sido formada por uma parte destacada do Sol, em função do choque provocado por um cometa?


c) Com relação ao resfriamento da Terra e à extinção da vida no planeta, podemos considerar que a ciência atual confirma o pensamento de Kardec a respeito da Teoria de Buffon?



 
Teoria da projeção (itens 1 a 2) - Conclusão Voltar ao estudo
 
C O N C L U S Ã O

Dentre as teorias que explicam a origem da Terra, a de Buffon alcançou grande notoriedade em determinada época, não só pelo respeito que o seu autor desfrutava no mundo científico, como também por não se saber mais do que ele disse naquela época. Sua teoria ficou conhecida como "teoria da projeção". Atualmente, por inúmeras razões, a Ciência demonstra o equívoco desta teoria, asssim como de outras que se formaram para explicar o processo de formação da Terra. .



QUESTÕES PROPOSTAS PARA ESTUDO



a) Como teria sido formada a Terra, segundo a teoria da projeção?


R - De acordo com a teoria da projeção, formulada por Buffon, a Terra teria resultado do choque de um cometa com o sol a cujo sistema pertence, o que provocou o destacamento de uma porção deste. Projetada no espaço pela violência do choque, esta porção destacada se dividiu em fragmentos, que vieram a formar diversos planetas, dentre os quais a Terra. Segundo Buffon, estes fragmentos que vieram a formar os planetas continuaram a se mover circularmente, pela combinação das forças centrífuga e centrípeta, na mesma direção, do ocidente para o oriente e no mesmo plano. Os planetas seriam, assim, partes da substância incandescente do Sol e, por conseguinte, também teriam sido incandescentes, em sua origem. Levaram para se resfriarem e consolidarem um tempo proporcional aos seus volumes e, quando a temperatura o permitiu, a vida lhes despontou na superfície.

b) Por que maneira a ciência rejeita esta teoria, segundo a qual a Terra não poderia ter sido formada por uma parte destacada do Sol, em função do choque provocado por um cometa?

R - A ciência rejeita a teoria da projeção por várias razões, apontadas por Kardec:

1ª - Kardec aponta como uma das razões para a rejeição desta teoria o fato de os cometas serem formados por matéria gasosa, rarefeita, sem resistência bastante para causar fragmentos em parte do Sol e arremessá-los à distância. Embora a ciência atual, diferentemente do que se entendia à época do Codificador, defina os cometas como sendo um bloco de gelo e rocha, com alguns quilômetros de extensão, que, ante a proximidade do Sol, tem o gelo transformado numa grande cabeça de vapor, formando um longa cauda, pela força do vento solar, prevalece, de qualquer modo, a observação de Kardec, pois, ainda assim, um cometa não teria condições de provocar qualquer dano ao Sol, caso viesse a se chocar com ele;

2ª - Os planetas não teriam sido formados por partes da substância incandescente do Sol, como defendia Buffon, por ser este composto de matéria sólida, cercada de uma atmosfera luminosa, conhecida como fotosfera,que não se acha em contacto com a sua superfície. Hoje, a ciência concluiu que se trata de um imenso globo de hidrogênio incandescente, cuja gravidade mantém os planetas em suas órbitas;

3ª - Ao tempo de Buffon, não eram conhecidos muitos dos planetas que hoje se conhece e que têm suas órbitas inclinadas entre 13 e 34 graus, o que não concorda com um movimento único de projeção, um dos fundamentos de sua teoria;

4ª - Os cálculos de Buffon acerca do resfriamento da massa terrestre, estimados em 74.000 anos, revelaram-se inexatos pela descoberta da lei do decrescimento do calor, por Fourier. Nos dias de hoje, estima-se que o processo de resfriamento da Terra levou milhões da anos para se completar.

5ª - Buffon considerou unicamente o calor central da Terra como o responsável pela temperatura de sua superfície, sem levar em conta o dos raios solares, concluindo, em conseqüência, que o planeta atingiria um estado de resfriamento que inviabilizaria a vida. Para a ciência atual, considerando a espessura da crosta terrestre, o calor interno do globo não contribui, de há muito, senão em parcela insignificante, para a temperatura da superfície exterior.

c) Com relação ao resfriamento da Terra e à extinção da vida no planeta, podemos considerar que a ciência atual confirma o pensamento de Kardec a respeito da Teoria de Buffon?

R - Como vimos acima, segundo Buffon, a Terra passaria por um processo de resfriamento de sua temperatura em decorrência da gradual diminuição do calor localizado no seu centro. Num certo tempo, que estimou em 93.000 anos, em virtude do gradual abaixamento do calor central, a Terra chegaria a um estado de resfriamento completo, que começaria pelos pólos e, pouco a pouco, atingiria todas as regiões do globo. Esse resfriamento congelaria toda a sua massa líquida e faria desaparecer todo o ar, fenômenos que tornariam impossível a vida no planeta, cujos seres iriam sumindo até o seu total desaparecimento.

Kardec refutou esta previsão, como foi dito acima, considerando que Buffon baseou-se na premissa de que a temperatura da superfície exterior do planeta é influenciada apenas pelo calor interno do globo. Já àquela época, a ciência demonstrava que o principal fator determinante da temperatura externa da Terra são os raios solares, cujas variações de ação ditam essa temperatura. Hoje a ciência ratifica essas razões, explicando que, se eliminada a luz solar que ela intercepta, ocorreria um resfriamento tão violento que o próprio ar condensaria, formando uma camada de neve de oxigênio e nitrogênio. O calor que emana do interior do planeta seria insuficiente para dissolver essa neve, o que inviabilizaria a vida.

1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo