Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > A Gênese
Períodos geológicos - 3a.pte (itens 15 a 18) (Estudo 47 de 136)

       

1.- O achatamento dos polos indicam que a Terra em sua origem deve ter apresentando um estado de fluidez, causada pelo fogo ou amolecida pela agua. Se levarmos em conta os fenomenos naturais que ainda hoje ocorrem veremos que existe no interior da Terra um lugar onde há fogo permanente. Como prova disso temos o calor que aumenta a medida que se penetra no interior da Terra, as águas termais quentes, e o espetaculo maravilhoso de uma vulcao em erupçao, que funciona como uma panela de pressao expelindo gazes e vapores assim como material incandescente.

2.- Experiencias demonstram que a temperatura se eleva de 1 grau a cada 30 metros de profundidade, donde se infere que a partir de 3.000 metros teremos uma temperatura de 100 graus (temperatura da agua fervente). Isso nos leva a crer que a Terra ainda é uma massa incandescente, recoberta por uma crosta sólida. A espessura dessa crosta, varia de acordo com a regiao sendo que nos terrenos vulcanicos ela é mais fina.

3.- Deste estudo podemos ver que o estado de fluidez da Terra teve como causa o calor e nao a agua. Em sua origem a Terra era uma massa incandescente que aos poucos foi esfriando a partir da superficie que endureceu, mas o seu interior continua liquido e quente.

4.- A quantidade de atomos existentes na Terra na epoca da sua formaçao é a mesma de hoje. Houve somente uma mudança de estado. Muito do que era liquido ficou sólido, combinaram-se substancias em consequencia do resfriamento. O ar estava misturado com a água ( em forma de vapor) e as substancias tais como metais, enxofre e carbono em estado de gazes. A atmosfera da Terra era opaca e a luz do sol nao a atravessava.




QUESTÕES PARA ESTUDO

a) Que circunstâncias comprovam a existência de um foco de fogo no interior do planeta?

b) A Terra, em seus primórdios, era uma massa incandescente. Como se deu o processo de resfriamento?

c) Seria possível, nessa fase de sua formação, a existência de ser vivo na Terra?

d) Em termos de numero de átomos, ou seja, da presença de elementos, qual a diferença do que existia na época da formação da Terra e do que existe hoje?

 
Períodos geológicos - 3a.pte (itens 15 a 18) - Conclusão Voltar ao estudo
 
C O N C L U S Ã O

O achatamento dos pólos e outros fatos concludentes são indícios certos de que o estado da Terra, na sua origem, deve ter sido o de fluidez ou de flacidez, estado esse oriundo de se achar a matéria ou liquefeita pela ação do fogo, ou diluída pela da água. Em sua origem, a Terra era uma massa incandescente. Durante muitos milênios, essa massa, desmembrada da nebulosa solar, esfriou-se, pouco a pouco, em sua extremidade, provocando o achatamento dos pólos e a formação da crosta terrestre. O calor, que aumenta à medida que se penetra em seu interior; as fontes térmicas, tanto mais quentes quanto profundas as suas nascentes; os vulcões, com suas lavas incandescentes, levam a crer na existência de um fogo interior ainda atuante. O estado primitivo de globo se caracteriza, pois, pela incandescência da matéria e precedeu aos períodos de formação da Terra que se seguiram.

QUESTÕES PROPOSTA PARA ESTUDO

a) Que circunstâncias comprovam a existência de um foco de fogo no interior do planeta?

R - A existência de um foco de fogo no interior da Terra pode ser comprovada por pelo menos três circunstâncias que levam a esta conclusão: 1ª - o aumento progressivo da temperatura, à medida que se penetra no seu interior. A ciência concluiu que, a cada trinta metros de profundidade, dá-se um elevação de 1°C na temperatura, chegando a 6.000°C em seu núcleo; 2ª - a existência de fontes térmicas, que, quanto maior a profundidade em que se situam as nascentes, mais quentes são as suas águas e 3ª - o fogo e as matérias fundidas esbraseadas, que são expelidas pelos vulcões ou pelas fendas abertas por tremores de terra.

Considerando que todo efeito tem uma causa, estas circunstâncias parece não deixarem dúvida quanto à existência de um foco central de fogo no interior do planeta, que seria, assim, uma massa incandescente, recoberta por uma crosta sólida, cuja espessura, estima-se, varia de seis quilômetros no leito dos oceanos a quarenta quilômetros no solo continental.

b) A Terra, em seus primórdios, era uma massa incandescente. Como se deu o processo de resfriamento?

R - Segundo se pode observar, o processo de resfriamento da Terra se deu naturalmente, ao contato com o ar. Foi um processo gradativo, que evoluiu pouco a pouco. Em virtude da irradiação do calor, iniciou-se o resfriamento, que começou pela superfície, que endureceu, permanecendo o interior em estado fluido. Com o endurecimento gradual da superfície, foram se formando camadas diferentes, que caracterizam os períodos geológicos admitidos pela ciência, até atingir a espessura hoje conhecida.
Esse processo de resfriamento da Terra, para ser melhor compreendido, pode ser comparado ao que se submete um bloco de carvão, ao sair em brasa da fornalha. Sua superfície se apaga e resfria ao contacto do ar, enquanto o seu interior se mantém em brasa.

c) Seria possível, nessa fase de sua formação, a existência de ser vivo na Terra?

R - Durante esse período, devido ao estado de total incandescência em que se encontrava a matéria que a forma, a Terra não era ainda habitada por seres vivos. Estes surgiram na superfície do Planeta somente mais tarde, nos períodos geológicos que se seguiram a esse estado primitivo. Se fosse possível a sua existência, receberia luz apenas pelo brilho da massa incandescente e da atmosfera avermelhada que então dominava o planeta, em conseqüência do calor que era irradiado, sem que sequer pudesse notar a existência do Sol, cuja luz não podia ser percebida.

d) Em termos de numero de átomos, ou seja, da presença de elementos, qual a diferença do que existia na época da formação da Terra e do que existe hoje?

R - Nesse período, a Terra não continha nenhum átomo a mais nem a menos do que hoje. Possuía os mesmos elementos que hoje são nela encontrados. Todavia, devido à incandescência que reinava àquela época, esses elementos, que hoje formam a água, a terra, as pedras e os metais, encontravam-se em estados diversos dos de hoje. Sofreram, unicamente, uma transformação, necessárias às condições de vida do globo, por força do resfriamento a que foram submetidos, o que gerou novas combinações. O ar dilatado se estendia a uma grande distância; a água, forçosamente era transformada em vapor, misturando-
-se com o ar; as matérias, tais como os metais, o enxofre, o carbono, achavam-se em estado gasoso. O aspecto da atmosfera, desse modo, nada tinha de comparável ao que é hoje. Os únicos acréscimos que se agregaram e ainda se agregam à massa da Terra são os meteoros e a poeira cósmica que incidem sobre o planeta, que, porém, são insignificantes, comparados com a sua massa total.
1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo