Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > A Gênese
Períodos geológicos - 2a.pte (itens 7 a 14) (Estudo 46 de 136)

       

1.- Dentro das diferentes camadas da Terra, despojos fósseis de animais e vegetais são encontrados. Como esses
despojos se encontram até nas mais duras pedras, há de se concluir que a existência de tais seres é anterior à
formação do solo pedregoso. Levando em consideração o número de séculos que se passaram para que o
endurecimento do solo se produzisse, forçoso é concluir que o aparecimento de seres orgânicos na Terra é muito
anterior à data que lhes assina a Gênese bíblica.

2.- Entre os despojos de vegetais e animais, em alguns são encontrados matérias silicosas ou cacarias, que os
transformaram em pedras. Outros foram apenas envolvidos pela matéria no estado de flacidez; são encontrados
intactos e, alguns, inteiros, nas mais duras pedras. Outros, deixaram marcas. No interior de certas pedras,
encontraram-se até marcas de passos e, pela forma do pé, dos dedos e das unhas, chega-se a reconhecer a
espécie animal a que pertenceram.

3.- Os fósseis de animais não contêm senão as partes sólidas e resistentes, isto é, as ossaturas, as escamas e os
cornos. São, não raro, esqueletos completos; as mais das vezes, no entanto, são apenas partes destacadas, mas
cuja procedência facilmente se reconhece. Como todas as partes do animal guardam necessária correlação, a forma
da cabeça, de uma omoplata, de um osso da perna, de um pé, basta para determinar o porte, a forma geral, o gênero
de vida do animal.

4.- Os fragmentos que em certos lugares formam rochas constituem inequívoco indício da origem deles. São
arredondados como os calhaus de beira-mar, indicando que sofreram atrito por efeito das águas. As regiões onde
eles se encontram enterrados foram, sem dúvida, ocupadas pelo oceano, ou, durante longo tempo, por outras águas
movediças ou violentamente agitadas.


5.- Os terrenos das diversas formações se caracterizam pela natureza dos fósseis que encerram. As mais antigas
contêm espécies animais ou vegetais que desapareceram inteiramente da superfície do planeta. Algumas espécies
mais recentes também desapareceram; outras, semelhantes, conservaram-se. Assim, à medida que as camadas
terrestres se aproximam da nossa época, as espécies animais e vegetais também se aproximam das que hoje
existem. As perturbações e os cataclismos que se produziram na Terra, desde a sua origem, mudaram-lhe as
condições de aptidão para entretenimento da vida e fizeram que desaparecessem gerações inteiras de seres vivos.


6.- Examinando-se a natureza das camadas geológicas, pode-se deduzir se, na época de sua formação, a região era
ocupada pelo mar, por lagos ou por florestas e planícies povoadas de animais terrestres. Se, numa mesma região,
encontra-se uma série de camadas superpostas, contendo, alternativamente, fósseis marinhos, terrestres e de água
doce muitas vezes repetidas, constitui esse fato prova irrecusável de que essa região foi muitas vezes invadida pelo
mar, coberta de lagos e posta a seco.

7. O estudo das camadas geológicas atesta as formações sucessivas que mudaram o aspecto do globo e lhe dividem
a história nas muitas épocas, que constituem os chamados períodos geológicos, essencial para a determinação da
Gênese. São em número de seis os principais períodos geológicos: período primário, de transição, secundário,
terciário, diluviano e pós-diluviano ou atual. Os terrenos formados durante cada período recebem a mesma
denominação.

8.- O número desses períodos não é absoluto, pois depende dos sistemas usados para a classificação. Nos
mencionados acima, só se compreendem os que estão assinalados por uma mudança notável e geral no estado do
planeta. Contudo, a observação prova que muitas formações sucessivas se operaram enquanto durou cada um deles.
Por isso é que são divididos em seis períodos caracterizados pela natureza dos terrenos e que elevam a vinte e seis o
número das formações gerais bem assinaladas, sem contar os que provém de modificações devidas a causas
puramente locais.

QUESTÕES PARA ESTUDO

a) Qual a importância da descoberta de fósseis animais e vegetais, nas camadas que formam o solo da Terra, para a
elaboração de uma gênese mais consoante com a realidade?

b) Como se explica o desaparecimento dessas espécies?

c) A que conclusão podemos chegar, relativamente à formação do solo da Terra, diante dos diferentes tipos de fósseis ncontrados de animais marinhos, terrestres, etc.)?

 
Períodos geológicos - 2a.pte (itens 7 a 14) - Conclusão Voltar ao estudo
 
C O N C L U S Ã O

O estudo das diferentes camadas da Terra comprova a existência de despojos fósseis de animais e vegetais em sua constituição. Esse fato comprova o surgimento de seres vivos no planeta antes mesmo que a sua formação fosse concluída. As sucessivas transformações que lhe mudaram o aspecto, até chegar ao atual, atesta que milhares de séculos foram consumidos. O estudo de sua formação permite dividir a história em épocas chamadas de períodos geológicos, que se caracterizam pela natureza diferente dos tipos de terrenos a que cada um se refere.

Os terrenos das diversas formações se caracterizam pela natureza dos fósseis que encerram. As mais antigas contêm espécies animais ou vegetais que desapareceram inteiramente da superfície do planeta. Algumas espécies mais recentes também desapareceram; outras, semelhantes, conservaram-se. Assim, à medida que as camadas terrestres se aproximam da nossa época, as espécies animais e vegetais também se aproximam das que hoje existem. As perturbações e os cataclismos que se produziram na Terra, desde a sua origem, mudaram-lhe as condições de aptidão para entretenimento da vida e fizeram que desaparecessem gerações inteiras de seres vivos.

QUESTÕES PROPOSTAS PARA ESTUDO

a) Qual a importância da descoberta de fósseis animais e vegetais, nas camadas que formam o solo da Terra, para a elaboração de uma gênese mais consoante com a realidade?

R - Como vimos no estudo anterior, o processo de formação da Terra pode ser fielmente descrito através do estudo das camadas geológicas que formam o seu solo. Essas camadas, superpostas, variam em espessura, cor e natureza das substâncias de que se compõem, formando estratificações que não deixam dúvida quanto à sua formação lenta e paulatina, sucessivamente, sendo depositadas umas sobre as outras, sob condições e causas diversas.

A descoberta de despojos de fósseis animais e vegetais nas diferentes camadas que formam o solo da Terra comprova a existência de seres vivos antes mesmo que a formação do seu solo estivesse concluída. Esses despojos são encontrados até nas mais duras pedras, pelo que se há de se concluir que a sua existência é anterior à formação do solo pedregoso. Levando-se em consideração que muitos séculos foram necessários para que o solo da Terra alcançasse o seu estado definitivo, chega-se, forçosamente, à conclusão de que o surgimento de seres orgânicos no planeta é muito anterior à época ensinada na gênese mosaica, segundo a qual os seres vivos foram criados após a formação da Terra.

b) Como se explica o desaparecimento dessas espécies?

R - Muitas das espécimes que existiam durante o processo de formação do planeta desapareceram devido às mudanças nas condições de vida que ocorreram com os cataclismos produzidos neste período. À medida que as camadas formadoras do solo foram se transformando, determinadas espécies de animais e vegetais foram desaparecendo, outras se modificaram e novas surgindo. Esses acontecimentos podem ser confirmados através das várias mudanças ocorridas nas características da vegetação e dos animais marinhos e terrestres encontrados numa determinada região, em vários períodos, que consumiram milhares de século para se completarem.

c) A que conclusão podemos chegar, relativamente à formação do solo da Terra, diante dos diferentes tipos de fósseis encontrados, de animais marinhos, terrestres, etc.?

R - Conforme a natureza das camadas geológicas, pode-se determinar se a região onde elas se encontram foram ocupadas numa certa época por mares, lagos ou florestas. Se, por exemplo, numa determinada região, encontram-se, superpostas, camadas contendo, ao mesmo tempo, fósseis marinhos, terrestres e de água doce, conclui-se que essa região foi muitas vezes invadida pelo mar, coberta de lagos e posta a seco. Pelo estudo desse item da Gênese, de Allan Kardec, baseado na Geologia, vemos que a Terra, antes de chegar ao seu estado atual, passou por violentas revoluções físicas, verdadeiros cataclismos, que duraram milhares de séculos.Temos, então, uma gênese lastreada pela ciência, mais condizente com o que realmente aconteceu e sem a simbologia da gênese mosaica, que muitos interpretam literalmente.

Examinando-se a natureza das camadas geológicas, pode-se deduzir se, na época de sua formação, a região era ocupada pelo mar, por lagos ou por florestas e planícies povoadas de animais terrestres. Se, numa mesma região, encontra-se uma série de camadas superpostas, contendo, alternativamente, fósseis marinhos, terrestres e de água doce muitas vezes repetidas, constitui esse fato prova irrecusável de que essa região foi muitas vezes invadida pelo mar, coberta de lagos e posta a seco.


As formações, que sucessivamente mudaram o aspecto do Planeta, podem ser classificadas por períodos. Esses períodos, que contam a história da formação da Terra em muitas épocas, nada têm de absoluto e podem variar conforme o sistema utilizado para a classificação. Kardec cita uma divisão que assinala apenas as mudanças mais notáveis e gerais no estado do planeta e levando-se em consideração a natureza dos terrenos. São em número de seis os principais períodos, segundo esta classificação: Primário; de Transição; Secundário; Terciário; Diluviano e Pós-Diluviano ou atual.

QUESTÕES PROPOSTAS PARA ESTUDO

a) Qual a importância da descoberta de fósseis animais e vegetais, nas camadas que formam o solo da Terra, para a elaboração de uma gênese mais consoante com a realidade?

R - Como vimos no estudo anterior, o processo de formação da Terra pode ser fielmente descrito através do estudo das camadas geológicas que formam o seu solo. Essas camadas, superpostas, variam em espessura, cor e natureza das substâncias de que se compõem, formando estratificações que não deixam dúvida quanto à sua formação lenta e paulatina, sucessivamente, sendo depositadas umas sobre as outras, sob condições e causas diversas.

A descoberta de despojos de fósseis animais e vegetais nas diferentes camadas que formam o solo da Terra comprova a existência de seres vivos antes mesmo que a formação do seu solo estivesse concluída. Esses despojos são encontrados até nas mais duras pedras, pelo que se há de se concluir que a sua existência é anterior à formação do solo pedregoso. Levando-se em consideração que muitos séculos foram necessários para que o solo da Terra alcançasse o seu estado definitivo, chega-se, forçosamente, à conclusão de que o surgimento de seres orgânicos no planeta é muito anterior à época ensinada na gênese mosaica, segundo a qual os seres vivos foram criados após a sua formação.

b) Como se explica o desaparecimento dessas espécies?

R -Muitas das espécimes que existiam durante o processo de formação do planeta desapareceram devido às mudanças nas condições de vida que ocorreram em consequência dos cataclismos produzidos neste período. À medida que as camadas formadoras do solo foram se transformando, determinadas espécies de animais e vegetais foram desaparecendo, outras se modificando e novas surgindo. Esses acontecimentos podem ser confirmados através das várias mudanças ocorridas nas características da vegetação e dos animais marinhos e terrestres encontrados numa determinada região, em vários períodos, que consumiram milhares de século para se completarem.

c) A que conclusão podemos chegar, relativamente à formação do solo da Terra, diante dos diferentes tipos de fósseis encontrados, de animais marinhos, terrestres, etc.?

R - Conforme a natureza das camadas geológicas, pode-se determinar se a região onde elas se encontram foram ocupadas numa certa época por mares, lagos ou florestas. Se, por exemplo, numa determinada região, encontram--se, superpostas, camadas contendo, ao mesmo tempo, fósseis marinhos, terrestres e de água doce, conclui-se que essa região foi muitas vezes invadida pelo mar, coberta de lagos e posta a seco. Pelo estudo desse item da Gênese, de Allan Kardec, baseado na Geologia, vemos que a Terra, antes de chegar ao seu estado atual, passou por violentas revoluções físicas, verdadeiros cataclismos, que duraram milhares de séculos.Temos, então, uma gênese lastreada pela ciência, mais condizente com o que realmente aconteceu e sem a simbologia da gênese mosaica, que muitos interpretam literalmente.

As formações que sucessivamente mudaram o aspecto do Planeta podem ser classificadas por etapas geológicas, que contam a história da formação da Terra em muitas épocas. Essa classificações, contudo, nada têm de absoluto e podem variar conforme o sistema utilizado para a sua elaboração. Kardec cita uma divisão que assinala apenas as mudanças mais notáveis e gerais no estado do planeta e levando-se em consideração a natureza dos terrenos. À sua época, essas etapas eram denominadas períodos. Atualmente, a escala passou a ser dividida em eras, que se subdividem em períodos que, por sua vez, são subdivididos em épocas.

São em número de seis os principais períodos, de acordo com o conhecimento geológico à época de Kardec e que serão estudados nos ítens seguintes: Período Primário, Período de Transição, Período Secundário, Período Terciário, Período Diluviano e Período Pós-Diluviano ou atual.
1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo