Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > A Gênese
Antigos e Modernos Sistemas do Mundo (ítens 1 a 5) (Estudo 27 de 136)

       

1.- A primeira idéia que os homens formaram da Terra, do movimento dos astros e da constituição do Universo era
baseada, unicamente, no que os seus sentidos permitiam perceber, pois, ignorando as leis da Física e as forças
da Natureza e dispondo apenas de sua própria vista como meio de observação, somente pela aparência podiam
fazer algum julgamento. Assim, vendo o Sol aparecer pela manhã, de um lado e desaparecer à tarde, de outro,
concluíam que ele girava em torno da Terra, enquanto esta se conservava imóvel.

2.- Por outro lado, as distâncias percorridas pelas viagens eram pequenas, limitando-se às áreas das próprias tribos
ou dos vales, o que não lhes permitia comprovar a esfericidade da Terra. Para eles, a Terra era uma superfície plana
e circular, estendendo-se a perder de vista na direção horizontal. As mitologias hindu e grega criaram várias imagens
a respeito. A primeira ensinava que o astro do dia, ao entardecer, se despojava de sua luz e atravessava o céu durante
a noite com uma face escura. A segunda foi ainda mais criativa, com imagens desde um Sol puxado por cavalos até
um astro com a faculdade de se acender pela manhã e se apagar à noite.

3.- O céu, como se mostrava sob forma côncava, era tido como uma abóboda real, cujos bordos inferiores repousavam
na Terra. Sem nenhuma noção do espaço infinito, imaginavam-no constituído de matéria sólida, vindo daí a denominação
firmamento, de origem grega, dando a idéia de firme, sustentado por um suporte, um ponto de apoio.

4.- As estrelas, cuja natureza não suspeitavam, eram simples pontos luminosos, de volumes diversos, fixados como
lâmpadas na abóboda, dispostas numa mesma superfície e, por isso, à mesma distância da Terra, tal como cúpulas
pintadas de azul, figurando o céu.

5.- Igualmente desconhecida era a formação das nuvens pela evaporação das águas da Terra. Não se podia imaginar
que a chuva que cai tivesse origem na Terra, pois ninguém a via subir. Acreditavam na existência de águas superiores e
águas inferiores, de fontes celestes e fontes terrestres, de reservatórios colocados em altas regiões, o que concordava
com a idéia de uma abóboda sólida, capaz de os sustentar. As chuvas, pois, seriam porções das águas superiores
que escapavam pelas frestas da abóboda. Conforme essas frestas fossem mais ou menos largas, a chuva seria branda,
torrencial ou diluviana.


QUESTÕES PARA ESTUDO

a) Quais os fatores apontados por Kardec como causadores da concepção equivocada do Universo?

b) Qual a concepção que vigorava a respeito do céu?

c) E com relação às estrelas?

d) Idem, com relação às nuvens?
 
Antigos e Modernos Sistemas do Mundo (ítens 1 a 5) - Conclusão Voltar ao estudo
 
Os antigos sistemas do mundo foram concebidos através dos meios de observação disponíveis à época. Sem possuir conhecimentos que apenas mais tarde o avanço da ciência veio lhe conferir, o homem formulou concepções que hoje soam absurdas.
QUESTÕES PROPOSTAS PARA ESTUDO

a) Quais os fatores apontados por Kardec como causadores da concepção equivocada do Universo?
R - Kardec aponta como motivo pelas antigas concepções dos sistemas do mundo o desconhecimento, à época, das leis que regem o Universo, reveladas mais tarde pela Física. Não dispondo dos meios de observação científica, que somente mais tarde veio a adquirir, o homem não possuía outra maneira de concebê-los senão pelo que observavam a olho nu e pelo que podiam perceber através dos sentidos físicos. Tiravam conclusões apenas pela aparência das coisas. Não dispondo de meios de locomoção que lhes permitissem realizar viagens a grandes distâncias, suas observações eram limitadas a pequenas áreas. Não lhes sendo possível, por exemplo, perceber a esfericidade da Terra, eram levados a concebê-la uma superfície plana, a se perder de vista no sentido horizontal.

b) Qual a concepção que vigorava a respeito do céu?

R - O céu era tido como uma abóbada real, de forma côncava e com bordos inferiores repousando na Terra, cuja capacidade era enchida pelo ar. Não possuindo noção do espaço infinito, os homens imaginavam o céu constituído de matéria sólida, daí a denominação que lhe foi dada de "firmamento", ou seja, algo firme, resistente, ainda hoje utilizada.

c) E com relação às estrelas?

R - A natureza das estrelas era totalmente desconhecida. Suspeitava-se serem pontos luminosos, de volumes diversos, encravados no céu, como lâmpadas dispostas numa única superfície. Todas guardariam a mesma distância da Terra. As expressões geradas por essas concepções, embora equivocadas, permanecerem até os dias atuais, tais como "abobada estrelada", "sob a cúpula do céu", dentre outras.

d) Idem, com relação às nuvens?

R - Igualmente era desconhecido o mecanismo do fenômeno de formação das nuvens pela evaporação das águas da Terra. Não se podia supor que a chuva vinda do céu tivesse origem na própria Terra, pois ninguém a via subir. Daí o surgimento da crença nas águas superiores e inferiores, em fontes celestes e terrestres, em reservatórios colocados nas altas regiões. Eram suposições compatíveis com a idéia de uma abóbada superior sólida, capaz de os sustentar. A chuva teria origem nas águas superiores que escapavam pelas frestas dessa abóbada. Conforme fossem mais ou menos largas as frestas, a chuva era branda, torrencial ou diluviana.
1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo