Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > Educação
Violência doméstica - nosso papo sobre (Estudo 826 de 835)

       

1-- O verdadeiro Espírita, aquele que no cotidiano do dia á dia consegue ter o auto-controle emocional e o AMOR no coração, sempre o sorrizo bondoso na face, e palavras afáveis que vêm da razão, os ensinamentos que o Mestre nos trouxe, pode e deve sempre, recomendar, apaziguar, reconfortar o casal envolvido na briga, pois já é conhecido e respeitado por seu bom comportamento, suas boas atitudes e seu BOM EXEMPLO. Este é o verdadeiro Espírita, os que estão fora destas condições não passam de SIMPATIZANTES do ESPIRITISMO.

2-- As consequências são muito nefastas, ruins mesmo para a vida corpórea desses espíritos.
Os verdadeiros Espíritas ainda infelizmente são poucos. Quando formos muitos mais, concerteza que teremos nossos representantes espalhados; na familia, nas escolas, universidades, nas artes, nas profissões/trabalho, no social, nas CASAS ESPÌRITAS, que atualmente estão preocupadas com o aspeto religioso, dando continuidade ao processo que as chamadas religiões vêm fazendo á milhares de anos e cujo resultado é esse BEM NEGATIVO, é só avaliar a situação atual da HUMANIDADE.
Os espíritas têm que se libertar desse colete de força que lhe tolhe os sentimentos de amor, os movimentos atuantes do BEM e do AMOR ao próximo, e partir para a prática do BEM criando novos paradigmas, novas atitudes e arregaçando as mangas, participando e se comprometendo com o trabalho social nas COMUNIDADES onde reside.

3-- Para minimizar e eliminar a obsessão a pessoa precisa conhecer profundamente os ensinamentos de nossa amada Doutrina, e praticá-los.
Quanto mais consegue eliminar suas imperfeições de caráter, comportamento, atitudes e relacionamento, mais imune vai ficando.
Sempre intensionando o Bem, usando sempre seu livre arbítrio decidindo as intuições sempre no caminho do BEM e do AMOR, aprendendo a eliminar da mente os eventuais maus pensamentos, sendo determinado e com muita vontade, para aproveitar sua encarnação para crescer na evolução espiritual.

4-- Ter na família um verdadeiro Espírita, preparado para resolver essa situação de forma adequada.

5-- Como assim algum tipo de religião!!!!??? Precisa mesmo é conhecer os ensinamentos do Mestre e PRATICÀ-LOS, praticá-los praticá-los e praticá-os. Desculpem digitar tanto praticá-los, mas desejo muito que a FICHA CAIA, para que a maioria dos SIMPATIZANTES que se dizem Espíritas, DESPERTEM para o verdadeiro ESPIRITISMO.
1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo