Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > Educação
Tema: Filhos Especiais - nossa conversa sobre (Estudo 692 de 835)

       

Ola.. que a Luz do nosso irmao maior, ilumine nossas respostas..

1 - Como agir perante os filhos especiais? Sao criancas que precisam ser amadas da mesma forma ou mais que as "normais", nunca esquecer que nao vivemos uma unica existencia, e por misericordia divina possamos estar apenas respondendo por algum erro ou passando por alguma prova nos ou o nosso filho...
2 - Estamos preparados para receber um filho em condição especial em nosso lar? Vou responder essa por mim, tirando base por mim, NAO. Nao estou preparada.. Mas quando e se vier, sera bem vindo(a).
3 - O que o estudo da Doutrina Espírita pode ajudar a família nesta situação? Com tdo que aprendemos de amor ao proximo, de reencarnacao, de saldar nossas dividas do preterito, enfim.., nos consolando e nos intruindo..
Jociane
---
Bem, meu nome é Janete, sou professora, tenho 48 anos e acabei de terminar a
Faculdade de Pedagogia e atualmente etou fazendo uma pós-graduação em
Educação Especial, com estudos diretamente relacionados com o contexto
escolar e familiar das pessoas com necessidades especiais. O que se percebe,
é que a família, ao receber a notícia de que seu filho não será aquele filho
idealizado, pensado, imaginado, num primeiro momento, entra em choque. Num
segundo momento, acontece a rejeição, a não aceitação da realidade imposta
pela vida, mas num terceiro momento, felizmente, a maioria dos pais cai na
real e recebe o filho com amor, mas ainda corre atrás da medicina para
tentar "normalizar a deficiência do filho", pois ainda não se conscientizou
de que seu filho é diferente e sempre o será. E é essa "diferença", que
deve ser aceita, nunca deixando de procurar todos os meios disponíveis para
que esse ser tenha um desenvolvimento de acordo com suas potencialidades, e
a luta constante deve ser esta; proporcionar a melhor qualidade de vida
possível para seu filho conviver no meio social. Mas , infelizmente, quantas
famílias não dispões de condições financeiras para procurar ajuda
profissional...e a realidade mais triste, que é muito comum: quantos
casamentos são desfeitos en função da problemática dos filhos com
necessidades especiais....e, geralmente, quem abandona o barco é o pai, pois
não aguenta tal situação. A mãe, pois Deus é infinitamente sábio e bondoso,
dificilmente abandona seu filho e o ama incondicionalmente e luta por ele
com todas as suas forças. O ideal, seria qua a família permanecesse unida,
um dando forças ao outro para a superação do problema, proporcionando dessa
forma, um lar com muito amor, harmonia , compreensão, para que o filho se
sentisse amado, seguro, amparado e aceito....mas nem todo as pessoas têm
essa condição de entendimento. Mas sabemos, que nada é por acaso, é que
esse ser que veio, por intermédio da força divina , fazer parte dessa
família, está aqui para resgatar e ser resgatado...e a família, é a parte
mais importante deste processo, que não deixa de ser doloroso, mas são
compromissos que devem ser cumpridos, que existem pela força da lei da ação
e reação, portanto, devemos rceber esse ser com o maior amor do mundo no
seio de nossos lares. Mas nem sempre é assim, a realidade, muitas vezes é
cruel...Esse é um tema que exige muita reflexão...não só por parte da
família, mas por parte da sociedade como um todo, pois o ser especial também
é um filho de Deus e um cidadão. Espero poder ter contribuido com algum
esclarecimento à todos...muita luz e muita paz!
Janete
---
Meu nome é Paulo e moro em Manaus/Am... trabalho em uma plana de processamento em uma unidade da PETROBRAS que plena selva amazônica: sou assim um privilegiado. Bem não é para isso qie estou escrevendo...



Não sei se esta dentro do assunto, mas tive agora uma filha de certa forma especial – qual é o filho que não especial!!!!.



Ela tem seis meses, é linda e chama atenção de muita gente... Porém, é muito chorona... Chora por nada e em situações que ninguém espera... as vezes esta queitinha ou brincando e por nada começa a chorar e até a berrar... As vezes tem reações que percebemos refletir que ela esta com raiva, irada... etc.



Eu sou espírita mais minha esposa não, embora eu acho que ela é médium, pois tem muitas percepções e sensações.



Temos uma vizinha que é muito amiga dela e também é espírita... Depois de conversa minha e da vizinha ela concordou levar nossa filha para tomar uns passes em um centro espírita... Lá nos recomendaram um tratamento que consistiu em levá-la para tomar passes durante quatro domingos e esta faze terminou ontem. Após o segundo domingo do tratamento recebemos uma informação do centro espírita.



Minha filha e a mãe têm débitos de vidas passadas e minha filha veio para um resgate. Recomendarem que minha companheira ore por ela e peça perdão todos os dias à noite após nossa filha dormir. Não sei o que vem pela frente, mas sei que temos de nos preparar pois um jornada de lutas esta para chegar.





Minha companheira tem uma idéia de que se batizar nossa filha ela vai melhorar... Eu demonstro que mesmo sendo espírita não sou contra batiza-la na igreja católica, pois no futura nossas pequeninas é tomarão a decisão da religião a seguir, mas deixo claro que no meu ponto de voista o fato de batizar não vai melhorar muita coisa... talvez nada...





A gravidez de nossa filha não foi programada, na verdade foi um acidente e no início minha companheira teve certa rejeição, porém logo depois aceitou e hoje ama muito e cuida de nossa filha. Ela é uma pessoa muito impaciente, porém com nossa filha vejo que ela consegue tem muita paciência. Talvez até pudesse ter mais, porém sinto que ela se esforça ao máximo.



Nos dois somos ex-separados e temos uma outra filha de 4 anos vinda do primeiro casamento de minha companheira. O pai dele mora aqui em Manaus e de certa forma é presente. Embora algumas vezes use a filha para atingir minha companheira.



Não sei se estas informações ajudam em alguma coisa, mas tenho muita consciência de que vamos ter de proporcionar muito amor para nossa filha, sem esquecer da mais velha, até para que ela não pense que não dou amor para ela por que ela não é legítima... sei que tenho uma jornada muito especial pela frente e sei que devo buscar amor por todos os lados.


Bem resumindo, tremos de dar muito amor para estes dois espíritos cuja orientação esta sob nossa responsabilidade.
Boa semana e paz para todos.
Paulo
---
Paulo, me comovi com sua história e acredito que você reencarnou com a missão então de nir esses dois espíritos com problemas. O primeiro e mais imporatante passou já foi dado, você analisou e tomou conciência da sitação.
Que Deus esteja sempre presente em sua vida, que os espíritos protetores o ampare, e que através de muita prece e boas atitudes você sej um espírito forte para passar por essa provação.

um abraço
érika
---
1 - Como agir perante os filhos especiais?
R. Filhos sempre são especiais , devemos agir com AMOR, AMOR, AMOR E MAIS AMOR , SEMPRE.

2 - Estamos preparados para receber um filho em condição especial em nosso lar?
R. Estamos sempre preparados para receber filhos perfeitos, aliás estamos sempre cobrando filhos perfeitos não é ? Quando as nossas expectativas são frustradas diante da possibilidade de nossos amores não serem tão "perfeitos" assim, sentimos que nos tiram o chão, mas onde fica o nosso "amor"? Esquecemos que a verdadeira perfeição reside na moral , e para ser moral não é preciso de intelectualidade,nem de perfeição física mas de comprometimento espiritual de todos nós com os designios divinos. Então o que é ser "Especial" ?


3 - O que o estudo da Doutrina Espírita pode ajudar a família nesta situação?
Na aceitação,na orientação para o comprometimento moral e a condução da relação fraterno-familiar para a consciencia da possibilidade de resgate de débitos anteriores pelo amor.

Abraços e muita luz

Paty Bolonha
----
Meu nome é Mila, e sou mãe de 2 filhos lindos. Como toda mãe,
os considero muito especiais, mas meu caçula de 6 anos é autista.
Vou dar a minha contribuição, procurando ser breve e respondendo
as questões do estudo.
Sempre tive muita simpatia e era frequentadora ocasional de uma
casa espírita. Moramos no município de São Gonçalo -RJ. MEU MARIDO,
PORÉM NUNCA FOI COMIGO .ACREDITAVA EM DEUS MAS NÃO TINHAMOS NENHUMA
RELIGIÃO. CASAMOS NA IGREJA CATÓLICA, BATIZAMOS NOSSOS FILHOS E COM O
TEMPO FOMOS NOTANDO QUE O DESENVOLVIMENTO DO DAVI ERA DIFERENTE, ELE
NÃO FALAVA E POR VEZES ERA MUITO TEIMOSO, NÃO ENTENDIA ORDENS SIMPLES
E AS VEZES PARECIA NÃO OUVIR. POR SER DA ÁREA DA EDUCAÇÃO, FICOU
MAIS FÁCIL DE PERCEBER AS DIFERENÇAS E PARTIR PARA MÉDICOS,
AVALIAÇÕES, ETC...
Este é o momento que a gente se descompensa. Qdo um médico
desses "feras", nos falou que nosso filho era autista, disse meio que
na "bucha", sequer nos explicou como eram esses transtornos do
desenvolvimento. Foi a 1º vez que senti verdadeiramente o sentido da
frase "sentir o chão se abrir". Saímos do consultório muito
abalados, choramos muito em casa. E aí a gente começa uma luta, vai
em outros médicos, e qdo. conseguí me equilibrar, retornei a casa
espírita que conhecia há mais de 7 anos, mas que nunca coloquei como
prioridade em minha vida.
´Cheguei lá e as lágrimas não paravam. Os irmãos tiveram uma
acolhida maravilhosa, fui para o atendimento fraterno e depois o
acompanhei na evangelização. Meu filho tinha 3 anos, só balbuciava.
E em pouco tempo depois, consegui levar o meu marido. Meu filho
mais velho tb na evangelização. Aí foram só as coisas melhorando;
Davi estava no passe especial, evangelização, eu e meu marido
entramos num grupo de estudo e no 1º ano que estávamos na casa
espírita, a diferença foi muito grande. Davi começou a falar. E como
fala !
Resumindo, hoje meu marido e eu somos tarefeiros da casa. Ele é
passista e faz de um tudo na casa, e eu estou na evangelização.
NÃO TEMOS DÚVIDA QUE O DAVI FOI O GRANDE RESPONSÁVEL PELA
ELEVAÇÃO ESPIRITUAL DA NOSSA FAMÍLIA.QUANTAS COISAS MELHORARAM...
COMO CRESCEMOS ENQTO PESSOAS.
SEM CONTAR QUE A DOUTRINA EXPLICA TUDO. NO CASO DO AUTISMO
ENTÃO NEM SE FALA. AÍ É QUE VAMOS ENTENDER PORQUE RECEBEMOS UMA
CRIANÇA ASSIM, E PORQUE ELA ESTÁ ASSIM.
QUEREM SABER MAIS SOBRE O AUTISMO NUMA ABORDAGEM ESPÍRITA ?
LEIAM "AUTISMO UMA LEITURA ESPIRITUAL DE HERMÍNIO C. MIRANDA (ED.
LACHATRE).
Qdo recebemos uma criIAnça assim, é porque somos escolhidos.
Nada é por acaso.
Crianças especiais precisam de AMOR E EVANGELIZAÇÃO.
Por isso, a importãncia das cASAS ESPÍRITAS se prepararem para
recebe-las na evangelização. Nossa casa espírita tem mais ou menos 5
crianças especiais incluídas nas classes da evangelização.São 2
autistas, entre eles meu filho, que estão melhorando e evoluindo.
Diria que estão resgatando mesmo. Se há cura para o autismo,
sinceramente, este é um fator que não sabemos, mas cada caso é um
caso, e se for do merecimento dele, terá uma vida muito próxima dos
padrões normais.
Ele faz as terapias, o tratamento espiritual e também a
EVANGELIZAÇÃO.
Bom, ser breve não é nada fácil para mim, mas espero ter
ajudado.
Um grande abraço fraterno.

Mila
---
Olá pessoal, gostei muito do tema e acho pertinente algumas relfexões, no movimento espírita daquide minha cidade Vitória da Conquista na Bahia, eu e outra ocmpanheira montamos um projeto "aprendendo com a diversidade" por acharmos necessárias algumas discussões, a casa espírta como instituição de educação está preparada para receber crianças, jovens e adultos portadores de necessidades especiais? A casa espírita faz inclusão? A arquitetura das nossas casas estão voltadas para atender este público? Sejam os portadores de necessidades físicas ou mentais? Existe o preconceito em nossa casa espírita, mesmo sabendo que a doutrina espírta não aprova o preconceito. Nossas evangelizações infanto -juvenis estão com evangelizadores capacitados para receber estes jovens? Enfim, são somente reflexões que propomos nesse projeto que estamos aplicnado aqui em nossa cidade, e achei pertinente pelo tema dar minah contribuição!
----
Bom Dia!

Que belo depoimento da Mila! O reencarne daquele cuja deficiência definiu rumo famliar num encontro cristão sob as luzes da 3ª revelação, prova que Deus escreve certo por linhas tortas.
Eis um exemplo de uma familia feliz!
Neider
---
olá pessoal
Achei linda a história da Mila. Tem sido complicado nos últimos tempos achar que o ser humano está em evolução no meio de tantas tragédias, desgraças, violências, barbáries. E quando brota um relato de vida como o da Mila é que vemos que existem sim almas iluminadas, que apesar das dificuldades se superam e se mantém no equilíbrio. Não sei o que é passar por uma situação assim, mas tenho enorme admiração por gente guerreira assim que não se entrega.Aqui no sul costuma-se dizer: "Não está morto quem peleia". Tenho tres filhos lindos, a cada gravidez por mais que se procure pensar positivo sempre vem aquela dúvida se o bebê será perfeito, e sempre tememos por isso. Sempre procurei me conscientizar de que se algo tivesse que acontecer eu precisaria redobrar a minha capacidade de amar. Por que é difícil emocionalmente, materialmente e tão cruel enfrentar o preconceito.
Ainda quero dar os parabéns ao esposo da Mila por ser um homem muito especial.Conheço várias histórias de casos de crianças especiais em que o pai foge na primeira oportunidade.Muita luz para vocês, que Deus possa acompanhar de bem pertinho cada passo dessa luta tornando-a mais branda.De coração. Jaque
---
1 - Como agir perante os filhos especiais?

Antes de mais nada nossos filhos são filhos de Deus e Ele sempre tem um propósito na nossa vida.

Devemos agir com muito AMOR, mas mostrar-lhe a responsabilidade do viver, conversando, orientando, se possível estimulando ao estudo adaptado para o problema, pois antes de tudo ele é espírito reencarnado, que está com sua inteligência momentaneamente entorpecidas.
> 2 - Estamos preparados para receber um filho em condição especial em
>nosso lar?

Quem realmente está preparado para tal situação?? Mas o certo é nos preparar para todas as ocorrencias possíveis, se não estamos, tudo na vida é um aprendizado, vamos crescer juntos.


> > 3 - O que o estudo da Doutrina Espírita pode ajudar a família nesta
>situação?

A esclarecer o porque da situação. Fortalecendo o animo, consolando, dando a compreenção o entendimento e ajuda para desenvolver a Fé inabalável
Cenilda
---
Oi pessoal lindo que a paz do SR esteja com todos vcs.
Oi Mila q lindo o seu depoimento, quero colocor o meu. Talvez não seja o caso, mas assim mesmo, pode alguém me dar uma luz para q eu possa entender e aceitar melhor.
Tenho 3 filhos e entre o mais velho (Leonardo) e o do meio (Lizandro) a diferença de idade é de 1 ano e 7 meses. Abos cresceram juntos com tão pouca diferença de idade mas o Leonardo tem um QI bastante alto em torno de 170 o q na época eu não sabia e comparando com o Mano o coitadinho sempre deixava a desejar, então coloquei na cabeça q o Mano tinha uma deficiência mental e levei-o a tudo que era médico psiquiatra e neurologista q eu conhecia em Curitiba e todos me diziam q eu era muito ansiosa no aprendizado dele. Mas não me conformava, tinha algo errado com o Mano q eles não conseguiam ver -- a certa era eu -- eu convivia com eles e passava o tempo todo comparando os 2 o Leo se expressava corretamente em frases completas e sem erros de português, o Mano mal balbuciava e as palavras que articulava trocava os erres não sabia contar nem cantar em fim tinha algo errado com ele. Depois de muitos anos quando tive meu terceiro filho Lorenzo era lindo risonho gorduchinho maravilhoso qual foi a minha surpresa quando vi q ele era exatamente como o Mano, ai caiu a ficha, comecei a ver q o erro estava com o Leo, depois de passado 10 anos descobrimos q seu QI era acima da média por isso o Mano não poderia te-lo acompanhado pois era perfeitmente normal. Resumindo hoje em Dia o problema esta com o Leo pois tendo uma inteligência privilegiada não consegue se encaixar em nenhum grupo,a faculdade não termina nunca (já fez 5 semestres de Direito 2 semestres de Administração 3 semestres de educação fisica e agora parou) pois logo fica sem atrativos e ele não consegue manter o interesse. Se disvirtuo para as drogas o q. deixa ainda mais difícil de lidar com ele. O Mano esta bem já esta no último ano na faculdade faz artes cênicas.
Isto é o q eu não consigo entender.
Obrigado
Respostas Estudos da Semana.
Ainda não sei como lidar. E não tenho tido muita resposta de como lidar no lado espíritual com isto.
Grande abraço a todos, e q Jesus os proteja.
Euzinha

1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo