Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > Educação
Tema: Família : Há mudanças? - conclusão (Estudo 458 de 835)

       

CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo
www.cvdee.org.br - Sala Virtual de Estudos Educar
Temas destinados à Família e à Educação no Lar


Eis, Lindinhos e Lindinhas do coração, tudo azul azul com e pra vcs? ;-)

Sabemos que os laços de família é uma necessidade do Espírito e que, portanto, a família terrena é um dos instrumentos para a construção da família espiritual.

Estamos em constante evolução, a qual se dá através das transformações , onde os valores do passado ncessitam ser visitados pelo reexame necessário a que se dê a eliminação de tudo aquilo que não contribuirácom a nova ordem a ser estabelecida.

Dalva Silva, no livro Os caminhos do Amor, diz que : "(...)O estudo da família pertence ao âmbito da sociologia, e estudiosos dessa ciência consideram a fase atual como um processo de transformação por que passa esse agrupamento humano, para adequar-se a um novo contexto. Enquanto no passado, a família era vista como agrupamento de pessoas ligadas pelos laços da consangüinidade, o conceito hoje se ampliou, considerando os sociólogos que se podem aceitar como família um casal e seus filhos, um casal sem filhos ou mesmo pessoas que se unem por afinidade. O conceito atual aproxima-se bastante da idéia espírita, já que em _O Evangelho Segundo o Espiritismo_ aprendemos que os verdadeiros laços não são os da consangüinidade, mas os laços da afinidade espiritual. Devemos tranqüilizar, pois, os corações, porque a família não está em extinção, o processo é de transformação."

Então, mudanças há, ou poderiamos dizer que há um processo de transformação.

Processo no qual a família saiu de suas bases - que no passado estavam baseadas em um patriarcalismo enorme, com submissão da mulher e dos filhos às vontades do "chefe de família". O diálogo era tão ruim (e às vezes pior) do que é hoje, o sentimento de religiosidade era imposto, as convenções sociais predominavam, o "machismo" (um eufemismo para o adultério) era muito mais consentido socialmente, a disciplina no lar (outro eufemismo para violência no lar) era exagerada, a repressão sexual era enorme, etc. - para buscar a construção de reais valores da e para a família, cujo processo construtivo reflete os nossos próprios valores individuais

As dificuldades(ou facilidades) atuais da família são decorrente das dificuldades(facilidades) íntimas de cada espírito membro dela; daí a necessidade de nossa modificação para melhor, de nossa moralização, de nosso crescimento espiritual; uma vez que somos e seremos nós mesmos quem estamos e iremos construir uma família melhor, ou seja, somos nós mesmos os arquitetos dessas mudanças e transformações pelas quais passa a família , e consequentemente as fazemos acompanhando nosso próprio pensar, sentir e de nossa própria evolução moral que possuimos ou não.

tarde felicidade pra vcs
beijocas mineiras com carinho no coração


Equipe Educar CVDEE
Ivair, Márcio, Rosane, Lu e Fúlvia
[email protected]

1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo