Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > Educação
Tema: Família e Lar: Há Diferença ? - nosso papo com textos (Estudo 450 de 835)

       

Saudações a todos,
O texto é muito bom e, embora reproduzido em parte, disse tudo.
Gostaríamos de enfatizar, no entanto, o aspecto educativo da família. No reduto familiar costumamos ser nós mesmos. Fora dalí usamos múltiplas máscaras para sermos aceitos e aprovados pelo coletivo. Mas essas máscaras não podem ser sustentadas no dia-a-dia da convivência familiar. Por isso, é ali que as nossas deficiências se tornam mais visíveis, dando autenticidade às relações interpessoais, sejam essas positivas ou negativas. Como consequência, é no reduto familiar que as oportunidades de crescimento são maiores, até mesmo quando são grandes os conflitos, pois eles são excelentes oportunidades de autoconhecimento. E isso não é mera retórica.
O que são os conflitos? Os conflitos resultam do choque entre deficiências incompatíveis entre si.
Em outras palavras, a deficiência de alguém só me incomoda quando não é possível conciliá-la com uma das minhas deficiências. Exemplo: os atos do autoritário incomodam o orgulhoso, a rebeldia incomoda o autoritário, o crítico incomoda o inseguro e o vaidoso, o ocioso incomoda o impaciente, etc.
Geralmente acreditamos que o atrito ocorre porque uma nossa virtude foi ferida por uma deficiência. Na verdade, a virtude nunca se sente ferida, lesada, ofendida (exemplo de Gandhi, de Jesus).
Os atritos resultam do choque entre deficiências e, por isso, nos dão a oportunidade de percebermos a nossa própria limitação e de testarmos o nosso progresso. Ao invés de tentarmos mudar o outro para moldá-lo às nossas expectativas, olhemos para nós mesmos e busquemos descobrir porque determinada deficiência mexe tanto conosco. Descoberta a nossa dificuldade, trabalhemos por eliminá-la.
Se elimino a minha vaidade, já não me sentirei ofendido (a) pela crítica, mesmo que injusta e negativa. Se elimino o meu orgulho, não me ofenderei com os desmandos do autoritário, etc.Para eliminar os conflitos basta que eu trabalhe a minha própria deficiência. "Se a vossa mão ou o vosso pé vos é objeto de escândalo,
cortai-os e lançai-os longe de vós"(Mt 18: 8)
Em segundo lugar, precisamos assumir a responsabilidade dos nossos atos. Principalmente na família, costumamos nos acusar mutuamente pelos atritos. Colocamos a nossa felicidade nas mãos do outro e, quando esse não consegue nos fazer feliz, nos desiludimos. (Só se desilude quem se iludiu -Emmanuel)
Ora, ninguém é responsável pelo meu sofrimento, ninguém é responsável pela minha tristeza ou alegria. Não importa o que o outro faça de negativo ou positivo comigo, eu sou o único responsável por deixar que tal ação repercuta em minha alma. Sou eu que deixo a tristeza entrar. Sou eu que permito que as situações materiais me perturbem. Mesmo que outro me induza a determinado ato, eu sou responsável pela minha decisão de seguir tal indução.
"Ninguém pode nos fazer infelizes sem o nosso consentimento" (Eleanor Roosevelt)
Em terceiro lugar, que nos conscientizemos que nada posso fazer para a mudança do outro. E se cada um é produto de suas próprias vivências, como posso pretender que o outro se modifique segundo o modelo que fixei em minha mente e que é fruto do meu próprio processo?
Dvemos aceitar as pessoas com suas limitações, aprendendo a amá-las como são, compreendendo suas dificuldades, entendendo que elas fazem o melhor que podem, que estão num processo que somente elas podem acelerar. Devemos aceitá-las e não pretender mudá-las para a nossa própria satisfação.
Praticando essas regrinhas básicas, vamos transformar nossa casa num verdadeiro lar.

Que Jesus abençoe a todos,
Janete
---
Boa tarde à todos !!!!!!!!!

Oi Janete, muito legal a sua participação.
Achei muito importante quando você citou o seguinte:
"Dvemos aceitar as pessoas com suas limitações, aprendendo a amá-las como
são, compreendendo suas dificuldades, entendendo que elas fazem o melhor
que podem, que estão num processo que somente elas podem acelerar. Devemos
aceitá-las e não pretender mudá-las para a nossa própria satisfação."
Acho que é um dos maiores desafios em família, é aceitarmos as pessoas...
sempre tentamos modificá-las... e é muito difícil encararmos que nós mesmos,
na maioria das vezes, precisamos mudar também.
Bem, estamos aguardando mais participações.
Vamos papear ????????
Bjs carinhosos.
Rosane - Equipe CVDEE.

---
Saudações a todos,

São pertinentes as palavras da Janete.
De fato, a partir do momento que tivermos melhor percepção de
que os atritos familiares são resultantes do choque entre
deficiências e que estamos tendo a melhor oportunidade de
percebermos a nossa própria limitação e de testarmos o nosso
progresso, estaremos dando um importante passo em favor da
nossa evolução.

Muita paz para todos,

João Gonçalves
---
La vai as minhas respostas:

Qual é realmente o sentido de família?
O sentido da Familia se resume em aprendizado, porque começamos na Familia desde pequenos a compartilhar sentimentos, emoções, dores, afetos, desafetos etc. Funciona como um pequeno laboratorio para mais tarde aplicarmos esses aprendizados com outros. Entao chego a conclusaão que Familia é a base de todos nós mesmos, seria como se fosse o nosso espelho interior pois quando encarnamos trazemos tendencias e no ambito Familiar conseguimos suprir ou aumentar estas deficiencias. Nesse ponto nos que somos Pais e Maes devemos prestar um pouco mais de atenção em nossas condutas pois teremos responsabilidades futuras

Qual a missão da família?
A missao da Familia é ensinar como base principal o "AMOR", um amor sem distinção, com muito respeito as diferenças porque o nosso Pai maior nao criou ninguem igual somos todos diferentes, pensamos diferentes, uns agem com o coração outros com a razao e jamais encontraremos alguem que tenha a mesma base de raciocionio que a nossa, por isso devemos ensinar em nossos lares o"Amor" com tudo que ele traz, respeitando sempre!!

Como podemos diferenciar Família e Lar?
Familia e o que nos foi oferecido pelo o nosso bondoso Deus de acordo com a nossa necessidade.
Lar é o que ofertamos de melhor para os nossos familiares.

Como podemos explicar "O lar é uma escola de almas"?
Com certeza, e o primeiro momento de conflitos, é o vencer as nossas más tendencias, é a alfabetização para os baichareis da vida.

Quais os motivos que ligam as almas num mesmo lar, numa mesma família?
Expiação e Provas. Ensinos e aprendizado.


Abraços a todos

Virna

---
Questões para diálogo virtual:
>
> 1.. Qual é realmente o sentido de família?
O da evolução, do progresso espiritual.

> 2.. Qual a missão da família?
o de fazer com que cada um evolua.

> 3.. Como podemos diferenciar Família e Lar?
Família é o agrupamento de pessoas. Lar é a união de todos em torno do
objetivo comum, o progresso.

> 4.. Como podemos explicar "O lar é uma escola de almas"?
Porque é no lar onde aprendemos a nos conhecer, a praticar o amor, a
fraternidade, a tolerância.

> 5.. Quais os motivos que ligam as almas num mesmo lar, numa mesma
>família?
O convívio, a integração, o desenvolvimento intelecto-moral.

Maria
---
Oi pessoal, tudo bom com vcs?

Rosane, seja bem-vinda de volta =)

Vamos participar pessoal? Abaixo seguem as minhas respostas, ok?
Beijos no coração de todos,

Questões para diálogo virtual:

1. Qual é realmente o sentido de família?
A meu entender, a família é a nossa primeira escola, onde aprendemos as lições importantes para a nossa vida: nossa conduta, nossa moral.
É na família também que treinamos a nossa paciência, nossa compreensão, compaixão, afeto, tolerância etc. A família é a base para nos tornarmos o que seremos em um futuro não muito distante. O resto, claro, depende de nós.

2. Qual a missão da família?
Vixi... acho que respondi na questão anterior... rs. Mas é nos preparar para a vida lá fora, nos dar ensinamentos quanto à moral (por isso é tão importante a gente fazer o Evangelho no Lar, conversar com os filhos sobre diversos temas, mostrar para eles o certo e o errado - e fazer o certo pra servir de exemplo pra eles). Isso nos ajudará a sermos pessoas melhores (se aprendermos direitinho e fizermos bom uso do nosso livre-arbítrio).

3. Como podemos diferenciar Família e Lar?
Família: são as pessoas que Deus colocou no nosso caminho para vivermos juntos, de acordo com nossas necessidades e simpatias.
Lar é aquilo que damos de melhor para cada um dos nossos familiares.

4. Como podemos explicar "O lar é uma escola de almas"?
É no lar que aprendemos a vencer nossas más tendências, a trabalhar para progredirmos moralmente. É como se estivéssemos tendo nossas almas "alfabetizadas" no Evangelho.

5. Quais os motivos que ligam as almas num mesmo lar, numa mesma família?
Os motivos são diversos. Pode ser que estajamos ligados por simpatia, expiação, provas ou aprendizado.
---
Com grande alegria começo a fazer parte desse grupo de estudos. Faço parte
do grupo de médiuns da Casa de Leon Denis e da Casa de Clarêncio. Trabalho
com evangelização entre outras coisas mais.
Jesus abnençoe a todos nós e nos auxilie a divulgar cada vez mai a Doutrina
dos Espíritos
Qual é realmente o sentido de família?
R: Familia é uma idéia genial de Deus, é através dos laços de familia que
iremos aprender a nos amar como irmãos.
Qual a missão da família?
Progresso dos espiritos endividados com a Lei de Deus
Através da familia nos unimos muitas vezes a inimigos dos passado para nos
reajustamos com a lei
Como podemos diferenciar Família e Lar?
Familia - união das almas para amar, progredir
Lar: É o ambiente que criamos para proporcionar o progresso e o apgrendizado
de uns com os outros.

Qual a missão da família?
Disse-nos Jesus: "Amai-vos uns aos outros" "Amai o vosso inimigo"
É atraves da familia abençoada que iremos conseguir esse grande aprendizado
que é o Amor

Como podemos explicar "O lar é uma escola de almas"?
É no lar que vamos aprender a amar verdadeiramente. É o exercicio do amor
sem esperar retribuição. Perdoar. Compreender, tolerar, renunciar e evoluir
sempre através do convivio familiar.

Quais os motivos que ligam as almas num mesmo lar, numa mesma família?
Expiação, prova, progresso e aprendizado sempre. Quando aprendemos a amar
os espiritos do grupo familiar em que reencarnamos. Teremos a oportunidade
de reencarnar em outros grupos familiares para mais uma vez aprender a amar,
até conseguirmos amar como Jesus nos ama. Amar a grande familia espiritual
da qual todos nós fazemos parte.
Sandra Goes
---
Olá Rosane e pessoal da sala, tudo bom?
Já que vamos continuar com o tema, coloco aqui um pequeno trecho que Emmanuel disse sobre a Família.

Boa leitura e, se eu tiver, mando mais textos!

Beijos no coração,

FAMÍLIA
"O amor autêntico (...) dando o melhor de si sem cogitar de si, gera grandeza e paz, aperfeiçoamento e alegria. Isso acontece porque toda vez que amamos particularmente a alguém que se encontra muito longe de responder-nos, com qualquer migalha de compreensão e de afeto, elevamo-nos ao amor de Cristo que nos ama sem que realmente o amemos ainda, reconhecendo, por fim, que esse alguém, refratário ao nosso amor, é, tanto quanto nós, um ser de origem divina, profundamente amado e constantemente sustentado por Deus."
Emmanuel

Fonte: Revista Universo Espírita - Agosto 2004
---
Bom dia pessoal da educar !!!!!!!!!!!!!!
Lindinho seu texto, Fúlvia...
Agora, que todos continuam quietinhos, continuam...
Ainda dá tempo de papear mais sobre o tema: Família e Lar: Há Diferença ???
Vamos ver o que André Luiz, na psicografia de Chico Xavier, tem a nos dizer sobre lar ????????
Beijinhos no coração de vocês e muita paz !!!!!!!!
Rosane.
Equipe CVDEE.
Texto : Noções de Lar

"Desejando colher valores educativos que fluiam naturalmente da palestra da senhora Laura, perguntei, curioso:

_ Desempenhando tantos deveres, a senhora ainda tem atribuições fora de casa?

_ Sim; vivemos numa espécie de transição; no entanto, as finalidades da colônia residem no trabalho e no aprendizado. As almas femininas, aqui, assumem numerosas obrigações, preparando-se para voltar ao planeta ou para ascender à esferas mais altas.

_ Mas a organização doméstica, em Nosso Lar, é idêntica à da Terra?

A interlocutora esboçou uma facies muito significativa e acrescentou:

_ O lar terrestre é que, de há muito, se esforça por copiar nosso instituto doméstico; mas os cônjuges por lá, com raras exceções, estão ainda a mondar o terreno dos sentimentos, invadido pelas ervas amargosas da vaidade pessoal, e povoado de monstros do ciúme e do egoísmo. Quando regressei do planeta, pela última vez, trazia, como é natural, profundas ilusões. Coincidiu, porém, que, na minha crise de orgulho ferido, fui levada a ouvir um grande instrutor, no Ministério do Esclarecimento. Desde esse dia, nova corrente de idéias me penetrou o espírito.

_ Não poderia dizer-me algo das lições recebidas? - indaguei com interesse.

_ O orientador, muito versado em Matemática - prosseguiu ela - , fez-nos sentir que o lar é como se fora um ângulo reto nas linhas do plano da evolução divina. A reta vertical é o sentimento feminino, envolvido nas inspirações criadoras da vida. A reta horizontal é o sentimento masculino, em marcha de realizações no campo do progresso comum. O lar é o sagrado vértice onde o homem e a mulher se encontram para o entendimento indispensável. (grifo nosso) É templo, onde as criaturas devem unir-se espiritual antes que corporalmente. Há na Terra, agora, grande número de estudiosos das questões sociais, que aventam várias medidas e clamam pela regeneração da vida doméstica. Alguns chegam a asseverar que a insituição da família humana está ameaçada. Importa considerar, entretanto, que, a rigor, o lar é conquista sublime que os homens vão realizando vagarosamente. Onde, nas esferas do globo, o verdadeiro instituto doméstico, baseado na harmonia justa, com os direitos e deveres legitimamente partilhados? Na maioria, os casais terrestres passam as horas sagradas do dia vivendo a indiferença ou o egoísmo feroz. Quando o marido permanece calmo, a mulher parece desesperada; quando a esposa se cala, humilde, o companheiro tiraniza, Nem a consorte se decide animar o esposo, na linha horizontal de seus trabalhos temporais, nem o marido se resolve a seguí-la no vôo divino de ternura e sentimento, rumo aos planos superiores da Criação. Dissimulam em sociedade e, na vida íntima, um faz viagens mentais de longa distância, quando o outro comenta o serviço que lhe seja peculiar. Se a mulher fala nos filhinhos, o marido excursiona nos negócios; se o companheiro examina qualquer dificuldade do trabalho, que lhe diz respeito, a mente da esposa volta ao gabinete da modista. É claro que, em tais circunstâncias, o ângulo divino não está devidamente traçado. Duas linhas divergentes tentam, em vão, formar o vértice sublime, a fim de construirem um degrau na escada grandiosa da vida eterna.

Esses conceitos calavam-me fundo e, sumamente impressionado, observei:

_ Senhora Laura, essas definições suscitam um mundo de pensamentos novos. Ah! se conhecêssemos tudo isso lá na Terra!...

_ Questão de experiência, meu amigo - replicou a nobre matrona - , o homem e a mulher aprenderão no sofrimento e na luta. Por enquanto, raros conhecem que o lar é instituição essencialmente divina e que se deve viver, dentro de suas portas, com todo o coração e com toda a alma. Enquanto as criaturas vulgares atravessam a florida região do noivado, procuram-se mobilizando os máximos recursos do espírito, e daí o dizer-se que todos os seres são belos quando estão verdadeiramente amando. O assunto mais trivial assume singular encanto nas palestras mais fúteis. O homem e a mulher comparecem aí, na integração de suas forças sublimes. Mas logo que recebem a benção nupcial, a maioria atravessa os véus do desejo, e cai nos braços dos velhos monstros que tiranizam os corações. Não há concessões recíprocas. Não há tolerância e, por vezes, nem mesmo fraternidade. E apaga-se a beleza luminosa do amor, quando os cônjuges perdem a camaradagem e o gosto de conversar. Daí em diante, os mais educados respeitam-se; os mais rudes mal se suportam. Não se entendem. Perguntas e respostas são formuladas em vocábulos breves. Por mais que se unam os corpos, vivem as mentes separadas, operando em rumos opostos.

_ Tudo isso é a pura verdade! - aduzi comovido.

_ Que fazer porém, meu amigo? - replicou a bondosa senhora - na fase atual evolutiva do planeta, existem na esfera carnal raríssimas uniões de almas gêmeas, reduzidos matrimônios de almas irmãs ou afins, e esmagadora porcentagem de ligações de resgate. O maior número de casais humanos é constituído de verdadeiros forçados, sob algemas. (....)"

(André Luiz/Chico Xavier, Nosso Lar, cap. 20)

---
Olá! Tudo na PAZ? É o que desejo para nosso mundo.

1. Qual é realmente o sentido de família?
O sentido da família é o compromisso do amor, do companheirismo, do diálogo franco, da solidariedade, da indulgência e a energia moral de que necessitamos, no longo processo da aquisição dos valores éticos, espirituais, intelectuais e sociais.



2. Qual a missão da família?
A missão da família é de amar e servir os filhos de nossa carne, preparando-os para uma autêntica civilização cristã. É investir na educação, no amor, na vigilância, no sacrifício. Sendo que o amor é o elemento essencial para a felicidade de nossos familiares.



3. Como podemos diferenciar Família e Lar?
Família é a união conjugal que propícia a edificação da prole com requisitos legais e morais.

O lar é onde prossegue a lição dos exemplos, a par da assistência constante de que necessitam os caracteres em formação. Onde temos o dever da responsabilidade. Liberdade de ação e responsabilidade dos atos, ajudando no discernimento desde cedo entre o que se deve, convém e se pode realizar.

4. Como podemos explicar "O lar é uma escola de almas"?
O lar é o lugar onde devemos fazer sublimes realizações. Onde devemos combater os vícios sociais, os delitos morais parentemente ingênuos, onde devemos vigiar e perscruta nossos pensamentos e ações, combater tendências e inclinações.

Combater os vícios e delitos que trazemos do ontem.

5. Quais os motivos que ligam as almas num mesmo lar, numa mesma família?
São reajustamento emocional de Espíritos antipáticos entre si, a sublimação de afeições entre os que já se amam, o caldeamento de experiências e o delinear de programas de difícil estruturação evolutiva, pelo que merecem todo um investimento de amor.



Muitos beijos e abraços.

Lêda
---
Olá pessoal! Voçês estão todos bem? Tenho certeza que sim. Muitos beijos.



Fazemos parte de uma família muito maior do que aquela a qual conhecemos por _mãe_, _pai_, _irmão_ ou _filhos_. Ainda que essas pessoas sejam muito amadas e de fato, para nós especiais, por serem importantes em nossas vidas, certamente não nos restringimos à elas. Reconheçamos que estamos inseridas numa família muito mais ampla _ a família de Deus. Tudo o que em nosso mundo reside merece de nós todo o cuidado e respeito.

Deus é o nosso creador, como parte integrante da amorosa família de Deus, procuremos meios para sermos mais amáveis e solidários uns com os outros. Expressemos amor e boa vontade através de nossos pensamentos, palavras e ações. Estando unos com Deus, estaremos unos com todos os membros da nossa extensa, rica e diversificada família. Trabalhemos conjuntamente em união de pensamento e prece na medida em que buscarmos dar o primeiro passo estendendo a mão ao ,nosso semelhante na busca da harmonia e paz inerente ao verdadeiro mundo creado por Deus.

Estamos conectados com toda a família de Deus por um elo espiritual.



Lar é o nosso cantinho gostoso, aconchegante, onde deve ser impregnado de algo nosso, para nos sentirmos bem. Não apenas um abrigo ou um lugar em que guardamos nossas coisas, mas uma atmosfera de amor, de harmonia, de segurança, de alegria e de paz!

A casa ou apartamento pode ser simples, mas se formarmos ali uma atmosfera calorosa, fraterna, harmoniosa, todos os que ali entram se sentem bem e o dizem. Não é o luxo, nem as decorações, mas algo intangível e´, no entanto, mais real do que tudo isso!

Beijos! Lêda




1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo