Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Série Philomeno   Educar      Família      
Home > Educação
Tema: Planejamento Familiar nossa conversa sobre 02 (Estudo 38 de 835)

       

Lu, tenho uma dúvida.

É a respeito da questão nº 4 do texto abaixo.
Nas discussões que eu vi durante esta semana, notei uma pessoa
dizendo que ouviu dizer que no Centro Espírita que ela frequenta,
foi falado que tanto a laqueadura quanto a vasectomia causam
lesões em determinados órgãos e isto implica numa possível
complicação de reprodução em outras encarnações.
Gostaria de saber a veracidade de tal informação.

4 - E a questão dos métodos contraceptivos, como analisá-la sob a ótica
espírita?
--
Queridos companheiros (as) de ideal!

Hoje os métodos contraceptivos estão avançados, de maneira a permitir
ao casal optar de forma amadurecida pelo planejamento familiar, que
em minha opinião faz-se necessário em virtude dos vários desafios que
a vida conjugal terá pela frente, sejam estes desafios materiais,
financeiros, íntimos, de educação da prole, etc. Os mais idosos
costumam dizer que "onde come um, come cinco, seis,..." Alimentar é
fácil, difícil é educar, estar presente e atento a todas as
necessidades de nossos filhos e prepará-los para serem os "Homens de
Bem" num mundo de transição em que nos encontramos hoje.
É certo que a reencarnação é uma necessidade de muitos, mas nem por
isso, deve ocorrer sem planejamento, sem preparo dos futuros pais.
Penso que essas escolhas fazem parte do estágio evolutivo no qual nos
encontramos e "... O espírito que renasce em novo corpo carnal tem
por meta aprimorar-se, estando para tanto com os pais e outros seres
adultos a incumbência de conduzi-lo, de orientá-lo na vida para a
Vida, instruí-lo para superar a própria ignorância, de libertá-lo das
trevas para arremessá-lo à Luz de Deus." (Espírito Camilo - Livro-
Desafios da Educação - autor - José Raul Teixeira.)
Creio que pesquisar, analisar, refletir, planejar para que a vida
familiar seja plena dentro do possível, só nos trará harmonia na
convivência diária.

Muita Paz!!!

Silvia Miglionni.
--
Oi, pessoal

Eu não tenho conhecimento deste assunto, mas acho que cada caso é um caso,
que depende muito da situação em que se faz a laqueadura/vasectomia, pois a
Lei da Causa e Efeito é infinitamente sábia e justa. . . e quanto aos
métodos contraceptivos acho que são necessários para a preservação da
espécie, pois não adianta nascerem 1.000 e morrerem 1.500 bebês por falta de
condições de sobrevivência (miséria, fome, doenças, etc), e a Lei do
Universo é mais forte, pois existem inúmeros casos de laqueadura e
"comprimidos" que falharam. . . esta é minha opinião particular, sem nenhuma
base doutrinária. Gostei muito deste assunto, com certeza aprenderei
bastante. . .

Um bom dia e muito obrigada pela oportunidade de estudo. Beijos,

Alice
--
Helena conforme a aula que tive no centro ,devemos regular a reprodução e
não entravar a reprodução por puro egoismo conforme ue sitei nas minhas
respostas ,agora esta expositora nos disse que fazendo uma laqueadura ou
vasectomia estamos lesando os orgãos ,e com isso estamos causando débitos
para o futuro ,e que esta lesão também causa problemas ao perispirito ,e
muitas vezes teremos problemas para engravidar em vida futura .Eu lembro que
na hora fiquei chocada e expus para ela que tinha feito por ser já a
terceira gravidez e ser perigoso uma quarta ,mas a s vezes me questiono ,será
que foi só por isso que fiz??? Ela disse também que cada caso é uma caso ,e
que Deus é misericordioso sempre em seus julgamentos ,ainda bem não ?????
Sempre é uma questão de se pensar com amor e carinho no problema .
Se alguém não concordar e ter lido algo diferente ,por favor indique o livro
e faça os questionamentos .
No livro do Ricardo Di Bernadi ,gestação sublime intercambio ,diga-se de
passagem otimo livro ,ele diz a mesma coisa em outras palavras ,usar o bom
senso ,e cada caso é um caso . Muita paz e aproveito e desejo uma excelente
Pascoa a todos ,Maria Luiza
--
Eis, Espero que tudo continue azul azul com vcs: )))


Quanto à dúvida, por enquanto encontrei o trecho abaixo, no livro A Divina
Constituição, do Richard Simonetti,. na página 38:

"(...)

Ainda a respeito do assunto há os anticoncepcionais definitivos, como a
laqueadura, na mulher, e a vasectomia, no homem, procedimentos cirúrgicos
que permitem o livre relacionamento sexual sem compromisso de filhos.
Principalmente a vasectomia está largamente difundida na Índia e na China,
com amplo estímulo do Estado, com o propósito de conter a explosão
demográfica. A esterilização é, também, um assunto discutível, porquanto
trata-se de uma prática antinatural, passível de lesionar o perispírito, com
repercussões negativas no psiquismo do indivíduo e reflexos na economia
orgânica em existências futuras.

(...) "

Ainda há uma referência sobre o assunto em:
Pinga Fogo com Chico Xavier , editora Departamento Cultura Edicel, na página
69, como eu não tenho o livro em referência, se alguém o tiver e puder
colocar aqui qual a informação que nos traz, seria legal?:)

Noite paz e amor pra vcs
beijocas mineiras com carinho no coração
--
Ois, Lindinhos e Lindinhas, espero que tudo azul azul com vcs: ))


É realmente um assunto interessante, né? Principalmente diante de questões
sociais, econômicas etc e tal que vivemos no nosso dia a dia.

Estive buscando textos, lendo e refletindo sobre o assunto, daí eis meu
pitaco :))

Em realidade, as obras básicas da DE não abordam a questão diretamente, uma
vez que à época de sua realização ainda não tinhamos o avanço da medicina
e/ou científico que temos hoje.

Mas, tudo está perfeitamente encaixado, né mesmo?:))

Há perfeição na Lei de Causa e Efeito, no processo de reencarnação, na forma
pela qual está encaixado o desenvolvimento, o progresso.

Assim, difícil nos é afirmar categoricamente que sim a laqueadura ou a
vasectomia terá consequências nas encarnações futuras ou que não, ao
contrário, não trará nenhuma consequência; mesmo porque as experiências
futuras dependerão de cada aprendizado que obtivermos e tb dependerão das
causas que levaram a tomar esta decisão: se alguém escolhe fazer vasectomia
apenas como forma preventiva de se "livrar" de filhos e se despreocupar com
relação a uma vida sexual ativa, mas sem consequências: a conotação e a
consequência será uma; se , ao contrário, em virtude de uma doença pela qual
seria arriscado se ter filhos sob pena de vir a desencarnar : a
consequência será outra e assim por diante.

Associado ainda à lei de causa e efeito e à reencarnação, teremos o livre
arbítrio; assim afirmamos categoricamente que as consequências serão estas
ou aquelas colocando tudo como um aspecto só sem nuances, sem matizes,
implicaria em ser contrário ao livre -arbítrio. Veja , por exemplo, alguém
faz a vasectomia ou a laqueadura, mais à frente , talvez mais conscientizado
, resolva vir a ter filhos. Resolve e adota uma ou duas crianças. Aprendendo
então através desse exercício a responsabilidade, o amor. Não teria essa
pessoa aprendido sem necessariamente ter que numa próxima reencarnação vir
estéril ou com problemas de fertilidade?

Por isso a vasectomia ou a laqueadura pode sim vir a ter uma consequência
futura, como também pode não a ter; tudo dependerá da consciência, da
responsabilidade, das causas que se levou à prática da operação, do
aprendizado.

Uma tarde iluminada pra vcs
beijocas mineiras com carinho no coração
--
" Ao reencarnarmos, trazemos conosco os compromissos que assumimos no plano espiritual,
referentes às várias circunstâncias de nossas vidas. Um desses compromissos, sem dúvida
nenhuma, é o compromisso decorrente do planejamento familiar que projetamos para a nossa
nova experiência no corpo material. Não temos, no entanto, como saber, com exatidão, quais
seriam esses compromissos, devido ao esquecimento a que somos submetidos ao reencarnarmos.
Isso nos vem em forma de intuição, como pressentimentos, que, segundo os Espíritos, são a voz
do instinto.

A procriação, dando oportunidade reencarnatória a um espírito que necessita voltar à vida física
para continuar sua evolução, é uma das tarefas que trazemos para a nova passagem pela carne.
Porém, não a única. Não reencarnamos unicamente com esse objetivo. Sendo assim, temos o
direito de fazer o nosso planejamento familiar, pois, do contrário, teríamos que procriar indefinidamente,
durante toda a existência física, o que não seria uma atitude de bom senso.

A questão do controle da natalidade deve ser examinada à luz da intenção de quem o pratique.
Se a intenção for de seguir um planejamento familiar que atenda às realidades do casal, inclusive
de ordem econômica, nada há na doutrina espírita que o reprove. Se, porém, a intenção é
meramente física, de manter a sensualidade, de ter uma atividade sexual voltada unicamente para
o prazer, aí é diferente. Neste caso, estará sendo contrariada a lei natural e a conseqüência será
a necessidade de retificação numa existência física futura, de forma geralmente dolorosa.

No capítulo IV, Parte 3a., de "O Livro dos Espíritos", ao tratar da Lei de Reprodução, Kardec
indagou dos benfeitores espirituais sobre o obstáculo à reprodução para satisfação da sensualidade.
Obteve como resposta a condenação somente de se obstar a reprodução para aquele fim (questão
694). Se contrariasse a Lei Natural qualquer que fosse a forma de se evitar a concepção, os
Espíritos teriam afirmado isso expressamente. Não o fazendo, podemos concluir que, havendo
necessidade, é licito se evitar a concepção.


A questão, portanto, é complexa e deve ser analisada conforme cada caso. Havendo razões
realmente justas, pode o homem limitar sua prole, principalmente se o casal já possui filhos e
entende que não mais convém ter outros. Entendemos ser, nessa hipóteses, perfeitamente aceitável
que venha evitar a concepção."

Quanto à ligadura de trompas ou vasectomia, entendemos que a ciência hoje já disponibilizou outras
formas menos traumáticas para se evitar a procriação, que não necessitam cirurgias nem causam
qualquer lesão física. Devem, portanto, ser priorizadas. Se vai ou não repercutir em futuras encarnações,
vai depender do objetivo do ato. O que lesiona perispírito é intenção, é pensamento. Como dissemos
acima, se o objetivo não contraria a lei natural, se a intenção é boa, não vemos como possa causar
qualquer lesão perispiritual que venha trazer dificuldades futuras.


Abraços a todos

Sergio
--
Eis, Lindinhos e Lindinhas, espero que tudo em paz e luz com vcs: ))


Procurei informações mais detalhadas com o Carlos, que coordena o trabalho
de ajuda a gestantes pelo CELD-RJ e ele procurou embasamento com médicos
espíritas amigos dele, taí uma colocação, tá ok?:))
Dia felicidade pra vcs
beijocas mineiras com carinho no coração

Carlos, muita paz em seu coração.

Quanto ao seu questinomento:
> Em primeiro lugar é melhor laquear que abortar.
O uso de anticoncepcionais tem seus riscos e, de repente, pode
aparecer uma gravidez indesejada, pois sabe-se que mesmo pequena eles
têm falhas.
De maneira geral, os anticoncepcionais hormonais na base de
estrógenos obstruem uma ovulação normal, entretanto, modificam também
o status do endométrio mucosa que reveste internamente o útero)
prejudicando a nidação de um possível óvulo fecundado (aquele oriundo
da falha possível e esperada).
Um endométrio que não apresente determinados requisitos anatômicos
é incompatível com uma gestação, caracterizando,por conseguinte uma
ação abortiva.
Laqueadura tubária e vasectomia também podem falhar, muitas vezes
muito menos que os anticoncepcionais. Quando falham a gravidez irá
ter continuidade normal. O ôvo (óvulo fecundado pelo espermatozóide)
se fixará normalmente no endométrio e seguirá crescendo nas quarenta
semanas normais.
Deduções, ilações, interpretações e dor de consciência só conseguem
quem realmente pensa no assunto.
Eu continuo receitanto anticoncepcionais hormonais e os
fisiológicos. Quando há certeza de prole completa, caso de terceira
cesárea ou risco de vida para a paciente numa próxima gravidez,
executo, a pedido dela, com aquiescência de mais dois colegas médicos
obstétras a devidas laqueaduras. Esta é minha atitude. Que para mim,
até o presente momento, é a melhor.
Gostaria de saber a opinião dos outros irmãos que foram inquiridos.
Beijos no seu coração.

PAULO CURY, SEU AMIGO E IRMÃO

1998-2018 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo